SOS Saúde

Sem receber, clínica e hospital deixam de atender pacientes da Capep Saúde

Sindicato dos Servidores fará ato nesta quinta (18), na Praça Mauá, para alertar os servidores sobre a atual situação financeira da Capep-Saúde.

09 de outubro de 2018 - 20:23

Da Redação

Compartilhe

Capep enfrenta problemas de descredenciamento de clínicas

Atrasos nos pagamentos devidos pela Capep-Saúde ao Hospital Frei Galvão, do grupo Notredame Intermédica, e à Clínica Radiológica de Santos provocaram a interrupção no atendimento para pacientes do plano de saúde dos servidores municipais de Santos.

Além disso, cirurgias eletivas e bariátricas também estariam sendo negadas.

Conforme o Sindicato dos Servidores – Sindserv, a dívida da prefeitura com a Capep chega a exatos R$ 4.716.255,18.

O montante, segundo o Sindserv, equivale à parte patronal que não estaria sendo paga pela Prefeitura.

Ou seja, apenas o montante descontado dos servidores (desconto em folha) é que estariam sendo repassados aos prestadores de serviços.

A prefeitura reconhece que ambos prestadores interromperam os atendimentos.

Porém, os valores devidos pela Capep-Saúde divulgados pelo sindicato são improcedentes.

Na Clínica Radiológica, o atendimento foi interrompido desde a última quinta (4).

Apenas quem já tem exame agendado conseguirá fazê-lo.

Novos procedimentos, portanto, para pacientes da Capep-Saúde estão interrompidos nesta unidade de saúde.

Já no Hospital Frei Galvão, todo e qualquer tipo de serviço voltado ao paciente do plano de saúde dos servidores municipais está suspenso desde a última sexta (5).

Além disso, a empresa não informa os valores devidos.

No entanto, conforme a Assessoria de Comunicação do hospital, apenas alguns pacientes que já estavam internados continuarão sendo atendidos normalmente.

 

Sindicato

O Sindicato dos Servidores – Sindserv promete fazer uma manifestação em frente ao Paço Municipal nesta quinta (18), a partir das 17 horas, no Centro.

O objetivo é alertar os servidores sobre a atual situação da Capep-Saúde.

Na Câmara, uma audiência pública está agendada para o final do mês.

Porém, ela deve ser antecipada em razão do aumento de empresas que estão deixando de atender os usuários do plano municipal de saúde.

Já a Capep Saúde informa que “está com agenda com os respectivos prestadores em tratativas sobre a questão dos pagamentos, não procedendo os valores informados pelo Sindicato”.