De presente

Bicicletas, mochilas… contêineres caem no mar e fazem a festa dos banhistas

Ao todo, foram 45 contêineres carregando os mais variados produtos, como mochilas, bicicletas e bolsas, que se espalham pelo mar. Em razão da ressaca, objetos podem chegar à orla de Santos, Guarujá e Bertioga

11 de agosto de 2017 - 17:09

Da Redação

Compartilhe

Centenas de malas e mochilas foram lançadas ao mar. Foto: Divulgação

Quem esteve  e está na praia de Santos nesta sexta (11) pode ter se deparado com mochilas, bolsas e até bicicletas boiando no mar agitado.

E há probabilidade de mais produtos chegaram em maior volume às praias de Santos, Guarujá e Bertioga nos próximos dias.

Isso porque a previsão é que haja uma forte ressaca de ondas entre sexta (11) e sábado (12), quando deve ocorrer o pico das ondas, chegando  a até 3 metros na orla e 5 metros em alto mar na entrada de Santos.  ”Os riscos são concretos, especialmente na Ponta da Praia”, alerta o climatologista Rodolfo Bonafim.

Em razão de estarmos entrando na lua minguante, o impacto na elevação da maré será menor, ficando restrito às ondas elevadas.

Devido à ressaca vir do Sudeste, há a probabilidade dos objetos lançados ao mar pelos 45 contêineres que caíram do navio Log-in Pantanal durante a madrugada de hoje (11) chegarem às praias de Santos, Guarujá e Bertioga, seguindo pelo Litoral Norte até chegar ao Rio de Janeiro nos próximos dias. A ressaca deve durar até domingo (12) na região.

 

Pequenas embarcações e canoístas circulam na entrada do estuário ignorando as fortes ondas da ressaca nesta sexta-feira à tarde (foto tirada por volta das 16h45). Foto: JanelasTV

Apesar das fortes ondas, pequenas embarcações e até canoístas são vistos circulando pelo estuário santista na tarde desta sexta (11), provavelmente em busca de objetos que estavam nos contêineres que caíram na madrugada de hoje, no fundeadouro 3 (na Barra), fora do Porto Organizado.

Até bicicletas foram encontradas

Paralisação

O fluxo de navios chegou a ficar paralisado pela manhã, mas foi normalizado.

A embarcação havia concluído operação no terminal da BTP e retornou à Barra, onde aguardava atracação no terminal da Embraport, informa a Codesp, autoridade portuária.

O canal chegou a ser fechado por determinação da Capitania dos Portos de São Paulo (CPSP).

Tanto a Capitania como a Praticagem farão levantamento para identificar o local exato da queda dos contêineres e descobrir as causas deste incidente.

Vídeos

Alguns vídeos postados nas redes sociais permitem conhecer o tamanho do volume de produtos que caíram ao mar. Logo pela manhã, embarcações pesqueiras ficaram lotadas com bicicletas importadas. Pelas características, os produtos devem ser provenientes da China e países asiáticos.

Confira:

 

 

LEIA TAMBÉM: