Santos

Especialistas avaliam necessidade de teste físico em concurso público

Concurso gente de combate às endemias exige corrida, impulsão horizontal, flexão abdominal e de braço

19 de julho de 2017 - 19:47

Da Redação

Compartilhe

Em junho a Prefeitura Municipal de Santos divulgou o edital para o preenchimento de 174 vagas de agente comunitário de saúde (ACS) e 150 de agente de combate às endemias (ACE). Alguns aspectos  do concurso público chamaram a atenção, como a exigência da prova de aptidão física composta por corrida, impulsão horizontal, flexão abdominal e de braço para o cargo de ACE.

“Com relação ao cargo de agente de combate às endemias, devemos observar as atividades correlacionadas ao cargo descritas no edital. Tais agentes podem ter que remover obstáculos de elevada pesagem. Adentrar em imóveis de grandes estruturas, terrenos de difícil locomoção. Muitas vezes munidos de equipamentos pertinentes ao desenvolvimento das atividades”, explica o advogado Cesar Tavares.

No entanto, Tavares salienta que é necessário atentar-se ao rigor do desempenho que os candidatos são submetidos. “Os testes são comparáveis aos similares aplicados às carreiras policiais. O principal questionamento que devemos fazer é da necessidade de tamanho rigor físico, pois é certo que o exigido pelas carreiras mencionadas são distintos e que o teste a ser aplicado não é compatível com a função do cargo do edital”, ressalta.

Depois de também analisar o que está descrito no edital do concurso, o educador físico e fisiologista do exercício, Iago Nunes Aguillar destaca que o tempo de preparação para um teste deste nível depende da condição prévia e condicionamento do indivíduo.

“Quanto mais treinado a pessoa já for menos tempo precisará se preparar. Os testes são específicos, ou seja, mesmo a pessoa sendo treinada e tendo um bom nível de condicionamento físico, precisará de no mínimo dois a três meses de um treinamento específico”, salienta o especialista. “Em concursos públicos como o da Polícia Militar e dos Bombeiros fica mais fácil de compreender porque eles fazem diversas avaliações das capacidades físicas para classificar a aptidão”.

Em nota, a Prefeitura Municipal de Santos justifica que nas rotinas diárias, um agente pode ter que caminhar até três quilômetros além de subir e descer escadarias de casas e prédios de vários pavimentos; devem carregar e suportar os equipamentos que podem pesar de 8 a 10 kg com carga total; podem ter que subir lajes, andaimes e outras estruturas e entrar em porões e locais baixos.

“O bom condicionamento físico é imprescindível para desempenhar tais finalidades e necessário que o servidor possua força física, resistência muscular localizada, resistência anaeróbica, coordenação, agilidade, flexibilidade, velocidade, resistência aeróbica e ritmo. Assim, baixos níveis de aptidão física podem se tornar um fator limitante no exercício do referido cargo”, diz a nota.

 

Sobre os concursos

Os processos seletivos ficarão a cargo do Instituto Brasileiro de Administração Municipal (Ibam) e as inscrições serão realizadas de 20 de junho até 20 de julho pelo site www.ibamsp-concursos.org.br.

A taxa é de R$ 56 e as provas estão previstas para o dia 13 de agosto. De acordo a lei n° 957/2017, para o preenchimento dos cargos é preciso ter ensino fundamental completo até a data da posse, conhecimento básico de informática e conclusão com aproveitamento satisfatório de curso introdutório de formação inicial.

No caso dos ACS, também é necessário residir no bairro de abrangência da unidade de saúde para qual se inscrever, desde a data da publicação do edital do concurso.

O concurso contará com prova objetiva, curso de formação introdutório e prova de títulos (tempo de experiência e cursos de formação). Para os ACE, haverá ainda a prova de aptidão física.

Os selecionados serão servidores estatutários nível B, com remuneração mensal de R$ 1.198,67, além de vale refeição de R$ 422,40, para uma carga de trabalho de 40 horas semanais.

LEIA TAMBÉM: