Giro - Gente, Ideias & Negócios
Denise Covas

Relações públicas, organizadora do Santos Jazz Festival e colaboradora da coluna Giro do jornal Boqnews.

Giro cultural

17 de junho de 2017 - 10:51

Compartilhe

O que vem por aí…

Bazar de eletroeletrônicos
Reciclados. Todas as sextas-feiras, o Centro de Reciclagem da Fundação Settaport realizará, das 9 às 17h, na Avenida Conselheiro Nébias, 85, no bairro do Paquetá, um bazar inédito de eletroeletrônicos usados, com preços acessíveis. No bazar, serão vendidos produtos que ainda funcionam e outros que podem ser reaproveitados, tais como TVs de LCD, teclados, mouses, CPUs, monitores entre outros equipamentos e acessórios. O projeto visa reaproveitar lixo eletrônico e oferecer produtos de qualidade com preços acessíveis.

Arraial do Arte
A festa junina do Instituto Arte no Dique promove sua Festa de São João. As barracas oferecerão os quitutes originais e tradicionais da cultura popular – bolo de milho, canjica, cural, milho cozido, pamonha, pinhão, bolo de fubá, pipoca, entre outros. O funcionamento acontece de sexta e domingo, nos dias 16, 17 e 18, 23, 24 e 25, 30 de junho, e 1º e 2 de julho. Toda a programação é gratuita. O arraial sempre começará às 19h. Informações: www.artenodique.org e www.facebook.com/artenodiqueoficial.

 

Umas & Outras

“Fuga de cérebros”
Como é chamada a fuga de profissionais altamente qualificados do país. Esse é o caso do pesquisador Sérgio Teixeira Ferreira, chefe do Laboratório de Doenças Neurodegenerativas do Instituto de Bioquímica Médica da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Atualmente, ele se divide entre o Rio e a cidade de Kingston, no Canadá, onde sua mulher e principal parceira nas pesquisas sobre a doença de Alzheimer, a neurocientista Fernanda De Felice, está em missão científica. “Ela aproveitou um momento muito complicado da ciência no Brasil para fazer essa opção de sair por um período para tentar fazer fora o que não conseguia fazer aqui”, afirma. Nos últimos meses, a equipe de Ferreira perdeu sete pesquisadores (dois doutores e cinco alunos de doutorado) e outros dois já avisaram que vão sair em setembro, todos para o exterior.

“O meu laboratório não aguenta mais um ano na situação atual”, acrescenta Ferreira, que lidera um grupo de pesquisadores reconhecido internacionalmente por suas descobertas na busca por novos tratamentos contra o Alzheimer. “Estamos em uma absoluta penúria. A Academia Brasileira de Ciências (ABC) calcula que o atual orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) corresponde a apenas cerca de 50% do valor –-corrigido pela inflação-– disponível para a para a pasta há mais de dez anos, em 2005. Faltam verbas, equipamentos e material de trabalho.(Fonte: Folha). É desanimador ver o Brasil perder profissionais qualificados quando precisamos tanto deles.