Celso Evora

Natal de boas atitudes

Um dos maiores milagres destes tempos natalinos é o de criarmos em nós a capacidade de repensar e redescobrir valores que, ao longo do ano, foram deixados de lado ou totalmente esquecidos

27 de dezembro de 2018 - 12:03

Compartilhe

Natal tem tudo a ver com amor.

É a época do ano em que nossos corações estão mais receptivos e harmoniosos e nossas esperanças são renovadas.

É tempo de comemorar a vida, espalhar o amor e semear a esperança.

Um dos maiores milagres destes tempos natalinos é o de criarmos em nós a capacidade de repensar e redescobrir valores que, ao longo do ano, foram deixados de lado ou totalmente esquecidos, muito pelo individualismo, algo que vem crescendo dentro da sociedade, principalmente entre os mais jovens.

E, se nesta época do ano, somos mais família, solidários, falamos mais de amor e paz, de respeito ao próximo e à sociedade em que vivemos, por que não fazê-lo mais vezes e tornar essa prática mais constante em nosso dia-a-dia?

Comportamento

É comum observarmos atitudes que classificamos como falta de educação.

Mas não a educação formal das escolas, mas sim a falta de cordialidade ou de gentileza.

Pensar no outro, muitas vezes, é pedir demais.

Egoísmo, ganância, soberba e ódio, caminham juntos nesses tempos em que o ser humano está mais individualista e até distante (pelo avanço tecnológico) da própria família.

Todos nós temos defeitos e nenhum ser humano deixa de cometer uma falha de comportamento em sua vida.

Isso só não pode ser constante, porque aí algo está errado.

Que possamos, então, virar a chave e refletirmos nossas atitudes com nossos semelhantes.

Podemos começar no trânsito, alertando o pedestre ou o motorista desavisado, sem gerar conflitos ou brigas, ou mesmo um simples gesto de coletividade, ao recolher bandejas com restos de comida em cima das mesas ao se alimentar num local público, dando oportunidade para outras pessoas também fazerem sua refeição.

Valores

A mesma atitude também se aplica no bem estar do nosso meio ambiente.

Recolher seu lixo de forma correta, seja na sua residência ou em local público, também nos oceanos, onde o número de resíduos faz extinguir espécies animais, assim como nas florestas, pondo em risco a nossa própria existência.

Portanto, que este Natal possamos retomar o seu significado valioso e essencial, de amor e de comunhão de bons sentimentos, como o perdão, a gratidão e a solidariedade, e não apenas um oportunista de final de ano que quer em um dia se tornar o grande homem da bondade e da generosidade por apenas 24 horas.

Somente com essas novas (velhas) atitudes alcançaremos as realizações que tanto almejamos.

São apenas pequenas sementes plantadas, mas que serão colhidas com maior sucesso no ano vindouro.

Feliz Natal a todos!

Ps: Por motivo de férias, a coluna retorna em fevereiro.

FELIZ 2019!