ETC
Mundo dos pets

Conheça as 5 doenças mais comuns em aves e como tratá-las

Nem todas as enfermidades que atingem os pássaros são facilmente identificadas, evoluindo silenciosamente e se tornando perceptível apenas no momento onde não há mais cura

27 de outubro de 2018 - 11:29

Publieditorial

Compartilhe

Conhecidas por serem frágeis, as aves são muito afetadas por problemas respiratórios e intestinais.

Eles podem vir desde a exposição a correntes de ar, quanto de uma alimentação desregrada e sem os nutrientes necessários ao crescimento e desenvolvimento da imunização natural.

Para piorar, nem todas as enfermidades que atinge os pássaros são facilmente identificadas.

Elas evoluem silenciosamente e se tornando perceptível apenas no momento onde não há mais cura.

Para evitar doenças de aves, assim como tratá-las, algumas medidas são necessárias.

 

Nem todas as enfermidades que atingem os pássaros são facilmente identificadas, evoluindo silenciosamente e se tornando perceptível apenas no momento onde não há mais cura. Foto: Divulgação

 

Doenças de aves e como são contraídas

A maior parte das doenças que nossos pássaros contraem são por culpa nossa.

Já que eles vivem em pequenas bolhas, sem interagir com nenhum outro pássaro possivelmente contaminado, geralmente nós que os expomos a situações de risco, como por exemplo:

– Gaiolas em correntes de ar;
– Alimentação pobre em nutrientes;
– Alimentação contaminada;
– Água de má qualidade;
– Entre outros.

Esses comportamentos podem gerar uma infinidade de doenças, e é sobre elas e os sintomas das mesmas que falaremos no tópico abaixo!

 

Quais as principais doenças de aves

 

1. SALMONELOSE: Causado pelo contato do animal com a salmonela de ovos, geralmente acontece pelo provimento de cascas de ovos não cozidos para os pets.

Os principais sintomas são o desânimo, apatia, penas eriçadas, olhos pesados, sede excessiva, cloaca suja de fezes e ventre inchado;

 

2. ENTERITE: Inflamação no intestino dos filhotes, advém de um abdômen duro, diarreia, cloacas sujas e ânus inflamado.

Nesse caso, por ser causado por uma bactéria, pode advir de uma série de locais, e deve ser devidamente tratada por um veterinário;

 

3. CORIZA: Assim como em humanos, acontece o corrimento nasal e o entupimento das vias respiratórias, podendo gerar tosse e dificuldade de respirar.

Mudanças climáticas, exposição a correntes de ar e afins podem facilmente desencadear essa doença;

 

4. BRONQUITE OU TRAQUEÍTE: Uma coriza prolongada ou muito pesada pode chegar a trazer uma bronquite, que causará falta de apetite, agitação, narinas obstruídas por catarro e bico aberto;

 

5. ENCEFALOMIELITE: Infelizmente, não há como curar essa doença, nem mesmo como evitar.

Causada pelo picornavirus, ela acomete primordialmente aves jovens, em suas primeiras semanas de vida.

Portanto, causa tremores, paralisia de pescoço e distrofia muscular.

Quando afeta aves adultas, as mesmas passam a ficar indispostas e apáticas.

Tirando essas doenças, você ainda pode encontrar fungos nas patas do animal ou ácaros nas penas.

Porém, esse tipo de infecção dificilmente pode ser evitada por vias convencionais.

Além disso, a melhor saída para elas é a separação e contenção do pássaro num local distante dos outros para evitar a disseminação dos parasitas.

Esses 2 problemas podem ser passados por formigas, pássaros de rua ou mesmo pelo ar.

 

Devo me preocupar com a gripe aviária?

No Brasil não existem casos da doença.

No entanto, ainda assim, os produtores de carne de aves se mantêm alertas.

Assim, existe um grande medo dessa enfermidade quando se possui uma ave.

Ainda mais pelos sintomas nos humanos quando acometidos com essa doença.

Mas, não se preocupe, hoje a doença está concentrada apenas no sudeste asiático, na Turquia, Romênia e Inglaterra.

Caso existam problemas preocupantes no nosso país, os órgãos da saúde pública ficarão responsáveis por nos informar detalhes.

 

Como tratar essas doenças?

Doenças de aves, assim como de qualquer outros animais, merecem um tratamento médico!

Portanto, caso note que seu pequeno ou sua pequena estão com algum tipo de infecção ou não estão 100% bem, vá correndo num veterinário para que o mesmo te oriente em como reagir nessa situações.

Desta forma, o mais recomendável é que você procure um veterinário especialista em animais exóticos.

Ou que tenha experiência comprovada com os mesmos.

Assim, caso não tenha nenhum na sua região, só tenha certeza de tirar todas as dúvidas que pode haver acerca do tratamento em si.

No mais, sorte e saúde para você e seu pequeno!

LEIA TAMBÉM: