ETC
Mundo dos Pets

Saiba como adaptar os pets ao horário de verão

Sonolência e alteração de apetite são alguns dos efeitos da mudança nos bichinhos

30 de outubro de 2018 - 13:34

Da Redação

Compartilhe

Com a entrada do horário de verão, o nosso organismo demora um pouco para se adaptar. Isso ocorre porque uma hora da nossa rotina é ‘deslocada’.

Portanto, o relógio biológico natural se ajusta de acordo com as atividades cotidianas e, principalmente, com a luz do dia.

Essa mudança também pode afetar os bichinhos de estimação.

“Eles estão acostumados a ter uma rotina e a alteração do horário é algo que precisam se adaptar. Como consequências, os pets podem se sentir mais sonolentos. E também com alteração nos horários de se alimentar”, explica a veterinária Karina Mussolino, gerente técnica de clínicas da Petz.

Treino

Uma dica para ajudar na adaptação é fazer um ‘treinamento’ antes da mudança.

Por exemplo, comece a passear e a alimentá-los fora dos horários sempre estipulados. Assim, evitando a alteração no comportamento e latidos excessivos.

Contudo, outra orientação é distribuir os bebedouros pela casa e renovar sempre a água.

Desta forma, eles podem ficar mais preguiçosos, procurando lugares mais frescos para se abrigarem.

Calor

Como ocorre o aumento da temperatura nessa época, é importante deixá-los hidratados. Além de protegidos da radiação, de queimaduras, de pulgas e de carrapatos.

“As pessoas devem ficar atentas se o pet está se alimentando normalmente, se está ingerindo água, se a urina e as fezes estão normais. Os animais desidratam pelo calor excessivo, então a ingestão de água e a alimentação são muito importantes”, orienta a Dra. Karina.

Outro cuidado é com o ar-condicionado e ventilador, pois o uso abusivo pode levar a problemas respiratórios, tosse e gripe.

Observar padrão respiratório e se está apresentando cansaço fácil. Qualquer dúvida, procure o veterinário.

Prepara-se para o verão

1 – Intensifique os cuidados contra picadas de insetos, pulgas e carrapatos, pois as temperaturas altas formam um ambiente ideal para a proliferação deles.

2 – Foque na hidratação, deixando a água sempre fresca e disponível. Nos passeios, leve cantil ou use os bebedouros de parques e lojas mais vezes.

3 – Evite passear e atividades físicas em horários mais quentes, das 10h às 16h, quando o asfalto pode causar queimaduras nos coxins, as “almofadinhas” das patinhas dos pets.

– Durante as caminhadas, faça pausas em local fresco para oferecer água e borrifar um pouco dela pelo corpo do pet.

– No passeio de carro, mantenha a ventilação e, em caso de viagens longas, faça paradas para o pet se refrescar.

6 – Use filtro solar específico para pets no focinho, extremidades das orelhas e barriga para evitar câncer de pele.

7 – Para os pets que ficam em quintal ou varanda, é importante manter um local fresco, com sombra, para que possam se proteger do calor e das chuvas de verão.

8 – Para aqueles que vão ao litoral ou que moram em cidades que têm praia, é preciso prevenir contra a dirofilariose. Procure o veterinário para indicação de vacina ou uso de vermífugo para prevenção.

9 – Carteira de vacinação deve estar em dia, pois há mais contato entre os pets, eles saem mais para passear, além da temporada de chuvas, que pode trazer risco de leptospirose.

LEIA TAMBÉM: