Turismo

Olinda: Festa do ritmo

Cidade é referência nacional na preservação do patrimônio histórico

03 de fevereiro de 2019 - 09:00

Da Redação

Compartilhe

Carnaval é um período marcado por muito agito e festa.

Confetes, serpentinas, glitter e milhões de foliões tomam conta das ruas de inúmeras cidades pelo País.

Um dos destinos mais populares é Olinda, em Pernambuco, terra do maracatu e do frevo.

Além disso, a cidade possui o título de Patrimônio Cultural da Humanidade.

O título foi concedido pela Unesco em 1982 devido ao centro histórico que conserva.

Olinda apresenta diversos pontos turísticos como igrejas, praças e museus, bem como muito ritmo e dança.

Entretanto, o principal destaque da festa fica com os bonecos gigantes de Olinda.

Os bonecos surgiram na Europa. Acredita-se que durante a Idade Média e eram utilizados em festas religiosas.

Em 1932, inspirado nos europeus, foi confeccionado o primeiro e mais popular boneco da cidade: o Homem da Meia-Noite, mesmo nome dado do bloco que “abre” o Carnaval da cidade.

História

A origem da figura do Homem da Meia-Noite é incerta.

Uma versão aponta que um dos fundadores da agremiação, Luciano Anacleto de Queiroz, baseou-se no homem que rouba a população no filme Ladrão da Meia-Noite para a criação.

Já a segunda versão conta que outro fundador, o compositor Benedito Bernardino da Silva, notou que um homem elegante sempre passava na mesma calçada diariamente no mesmo horário.

Posteriormente, ele descobriu que se tratava de um sublime namorador, que pulava janelas de moças durante a madrugada.

Um fato que destaca a mística envolvendo a troça carnavalesca é a data de criação do boneco: o mesmo dia de Iemanjá, 2 de fevereiro.

Festa

A folia começa já nas primeiras horas do dia, com os blocos geralmente saindo de manhã e no início da tarde.

Para o famoso desfile dos Bonecos de Olinda a concentração começa às 7 horas da terça-feira de Carnaval (5/3), com saída às 10 horas.

As ruas estreitas e ladeiras ficam lotadas de gente, repletas de cores e sons.

O frevo é o principal ritmo que agita o carnaval pernambucano.

Ele possui três modalidades: frevo de bloco, frevo-canção e frevo de rua. A origem da palavra veio do “ferver”, passando também por “frever” até chegar ao nome atual.

Os passos da dança são extremamente dinâmicos para acompanhar a música rápida e frenética.

Para quem quiser se abster das multidões, os camarotes oferecem conforto e espaço para alimentação, entre outras comodidades.

Recife

A cidade vizinha também recebe muitos visitantes durante o feriado, com camarotes e blocos de rua.

O mais prestigiado é o Galo da Madrugada, criado em 1978.

Reconhecido pelo Guinness Book como o maior bloco do mundo, ele movimenta multidões no sábado de Carnaval a partir das 7 horas da manhã. As duas cidades são bem próximas.

Dessa forma, o trajeto pode ser feito de carro, ônibus ou até a pé.

LEIA TAMBÉM: