Estética

Tratamentos modernos auxiliam no combate à calvície

Se o paciente tiver menos de 40% do cabelo, a alternativa mais indicada para o combate à calvície é o implante capilar.

03 de dezembro de 2018 - 18:15

Publieditorial

Compartilhe

Apesar de muitos homens aparentemente não se importarem tanto com estética, poucas coisas incomodam tanto o público masculino quanto a calvície.

Isso pode ser constatado facilmente entre os cerca de 50% da população masculina que sofrem com a queda de cabelos permanente.

Para essa parcela da população o avanço tecnológico traz um sopro de esperança, através das novas tecnologias utilizadas tanto na prevenção e diagnóstico quanto nos tratamentos quando o processo de queda dos cabelos já começou.

 

Tecnologia nos diagnósticos

A melhor maneira de evitar que essa queda de cabelos se torne algo permanente é o diagnóstico rápido dos motivos que estão desencadeando o problema.

Um dos métodos mais utilizados recentemente para diagnosticar a calvície é o scanner do couro cabeludo.

Esse aparelho faz a projeção de imagens do couro cabeludo e dos fios que podem ser aumentadas até 8 mil vezes, o que facilita a detecção de inflamações, alteração na circulação sanguínea, deposição de gordura e outros possíveis causadores da calvície.

Para quem ainda não percebeu a queda de cabelos, mas tem casos de calvície na família o teste HairDX pode ser o mais indicado.

Esse é um teste genético que permite descobrir se existe a probabilidade de o paciente desenvolver a calvície, principalmente se houver alguma alteração no cromossomo X, que é herdado da mãe.

O teste HairDX possui um índice de aproximadamente 80% de acerto e vem sendo bastante utilizado nos consultórios e clínicas especializadas.

Novas técnicas ajudam a minimizar os impactos da calvície. Foto: Divulgação

Tratamentos mais modernos

Entre os tratamentos mais modernos para combater a calvície, a eletroestimulação tem sido muito utilizada.

O tratamento visa estimular a multiplicação das células do bulbo capilar através de pequenos choques aplicados diretamente no couro cabeludo.

Esse procedimento interrompe a queda dos fios e estimula o crescimento de novos fios nas áreas afetadas anteriormente.

A introdermoterapia é mais uma opção para quem já sofre com a queda de cabelos e procura um tratamento que consiga interromper o avanço da calvície.

Ou seja, um rolo composto por micro agulhas é passado pelo couro cabeludo abrindo pequenos canais, onde são injetadas substâncias que ajudam a interromper a queda dos fios e estimular o seu crescimento, como proteínas e silício orgânico.

Os resultados desse tipo de tratamento podem ser vistos cerca de 6 meses após a aplicação.

Para os homens que já apresentam uma queda mais acentuada de cabelos é possível realizar um transplante folicular coronal.

Como uma evolução do implante capilar, são feitos enxertos de até quatro unidades foliculares retiradas do próprio paciente, ao contrário do implante onde são feitos enxertos de tufos de cabelos nas áreas afetadas pela calvície.

Assim, esse tratamento só pode ser realizado se o paciente ainda tiver cerca de 40% do cabelo.

Portanto, se o paciente ainda tiver menos de 40% do cabelo, o mais indicado é realizar um implante capilar.

 

Conclusão

O avanço tecnológico permite que novos tipos de tratamentos e diagnósticos sejam desenvolvidos para todos os tipos de doenças, e as pessoas com calvície podem se beneficiar de todo esse avanço.

Assim que perceber que muitos fios estão caindo diariamente procure um dermatologista tricologista para procurar diagnosticar a calvície o mais rápido possível e, caso necessário, realizar o tratamento mais adequado para o seu caso.

LEIA TAMBÉM: