Saúde

Vai viajar? Lembre-se que o diabetes não tira férias

De carro, ônibus, trem ou avião, seja qual for o destino, controlar a glicemia é importante para aproveitar o passeio e manter a qualidade de vida.

16 de janeiro de 2019 - 19:00

Da Redação

Compartilhe

A chegada das férias traz consigo a vontade de abandonar as preocupações e cuidados diários com o corpo.

Não à toa que, nessa época, muita gente deixa de lado a alimentação saudável e as idas à academia.

Contudo, para os pacientes com Diabetes Mellitus, esse costume apresenta riscos e pode gerar graves consequências à saúde.

No Brasil, cerca de 13 milhões de pessoas convivem com o diabetes, número que pode aumentar para 24 milhões até 2045, segundo dados da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD).

Devido a isso, levanta-se a necessidade de conscientizar e alertar a população sobre os riscos que a falta de tratamento adequado pode gerar.

Para os pacientes que já são adeptos aos cuidados e estilo de vida que controlam o diabetes, é bom sempre ter em mente que eles precisam ser mantidos até em viagens, de modo a evitar maiores complicações e a fim de garantir que as férias sejam aproveitadas sem muitas dores de cabeça.

Confira então dicas valiosas para uma boa jornada de descanso:

É preciso planejamento

Assim como é preciso planejar as excursões e horários antes da viagem, é recomendado o mesmo em relação ao diabetes.

Juntos, médico e paciente poderão traçar um plano alimentar sobre o que consumir ou não durante o roteiro.

Antes de pesquisar os pontos turísticos da cidade, é preciso ficar atento às farmácias e aos hospitais mais próximos de onde ficará hospedado.

Produtos de cuidados com o diabetes devem ficar na bagagem de mão

O medidor da glicemia (glicosímetro), os aparelhos e medicamentos de uso diário devem ser colocados na bagagem de mão, evitando que eles danifiquem e garantindo a utilização durante o percurso, caso preciso.

Se a viagem for de avião, é exigido levar a prescrição e uma declaração médica atestando que o paciente tem diabetes e está com a insulina e outros medicamentos para utilizá-los quando necessário.

Quanto à quantidade de insumos que devem ser levados, o ideal é carregar sempre uma reserva a mais para possíveis imprevistos (o dobro do que você vai utilizar, de acordo com a Associação Americana de Diabetes).

Também é importante deixar tudo em suas respectivas embalagens originais para não danificar, e prestar atenção com os cuidados com a manipulação que o produto demanda (em caráter especial a insulina, que não pode estar em ambientes quentes).

Para quem vai dirigir

Para quem vai dirigir, vale lembrar alguns cuidados que devem ser tomados antes, durante e depois do caminho.

O teste de glicemia deve ser feito antes de sair de casa, e a cada três ou quatro horas de direção (ou quando suspeitar de hipoglicemia).

Durante as paradas, caminhar um pouco e alongar as pernas é muito importante para evitar dores e inchaços.

Não esqueça os snacks

Eles serão essenciais e precisarão estar com você todos os dias – nas excursões, festas e eventos.

Eles poderão ser consumidos caso alguma refeição atrase ou haja muito trânsito no caminho.

Deve-se lembrar que esses lanches devem ser saudáveis como barras de cereal, iogurtes desnatados ou frutas.

É importante evitar utilizar alimentos ricos em carboidrato e gordura como lanches pois eles podem desregular os níveis de açúcar no sangue

Não descuide da alimentação

É normal que em roteiros diferentes, a quantidade ingerida de carboidratos simples, açúcares e bebidas alcoólicas aumente.

Contudo, diabéticos e portadores de restrições alimentares devem prestar atenção para não descuidar totalmente da alimentação.

O segredo é variar os tipos de alimentos ingeridos, sem exagerar em nenhum deles, e incluir fibras nas refeições, já que elas retardam a absorção dos carboidratos e controlam a glicemia.

É aconselhável intercalar o consumo moderado de bebida alcóolica com água em abundância, lembrando sempre que a medição deve ser feita antes e depois de toda refeição.

LEIA TAMBÉM: