agende-se

12° edição da Tarrafa Literária

Festival Internacional de Literatura de Santos ocorrerá virtualmente com transmissões ao vivo pelo seu canal do Youtube, entre os dias 19 e 22 de novembro e reunirá autores nacionais e internacionais

12 de novembro de 2020 - 13:20

Da Redação

Compartilhe

Um dos mais tradicionais festivais da literatura nacional e internacional, a Tarrafa Literária chega à sua 12ª edição neste ano de 2020 e, para atender as medidas de biossegurança por conta da pandemia do novo coronavírus, será realizada virtualmente, entre os dias 19 e 22 de novembro, com transmissão ao vivo pelo Facebook e Youtube do festival.

O evento online proporcionará ao público a experiência de conferir gratuitamente, dez mesas de debate com autores de grande prestígio no mundo literário.

19 de novembro

A primeira atividade do evento é na quinta-feira (19), às 9h, com a realização da aclamada Tarrafinha Literária para o público infantil, com a participação da escritora e ilustradora Janaina Tokitaka e dos professores e alunos da rede municipal de ensino, além da mediação da professora Rita Nascimento, da Secretaria de Educação de Santos (Seduc).

Na primeira mesa, às 19h30, um “time de peso” da literatura estará reunido. A homenageada desta edição, a premiada escritora santista Maria Valéria Rezende, estará virtualmente com o premiado escritor cubano, Leonardo Padura, autor da tetralogia “Estações em Havana”, que posteriormente se tornou série da Netflix, em debate sobre “A Literatura como Reconstrução”, mediado pelo jornalista e mestre em História Social, Alessandro Atanes.

Na sequência, às 21h, os jornalistas Patrícia Campos Mello e Eugênio Bucci debatem como os profissionais de comunicação trabalham para combater as fake news com o tema “Nos Livros, a Verdade Impressa” e com a mediação do também jornalista e editor-chefe do Sistema Santa Cecília de Comunicação, Gustavo Klein.

20 de novembro

Na sexta-feira (20), às 18h, a arquiteta, escritora e atleta de natação nascida no território hoje pertencente à Croácia, Nora Rónai, e sua filha, jornalista, escritora e fotógrafa, Cora Rónai, têm uma conversa sobre imigrantes no Brasil, com o jornalista americano Matthew Shirts.

Às 19h30, a professora e escritora Vivien Kogut Lessa e a pesquisadora e professora Sheila Hue conversam, juntamente a Alessandro Atanes sobre uma das atrações desta 12ª Tarrafa Literária, a obra Ingleses no Brasil: Relatos de Viagem, 1562 – 1608, que reúne doze narrativas de viagem, de diversos autores, trazendo origens do Brasil pelo olhar de navegadores, corsários, geógrafos e, principalmente, mercadores,

A última mesa do dia, às 21h, tem o crítico e poeta português Pedro Mexia e o antropólogo, diplomata e escritor Gustavo Pacheco em uma conversa intitulada de “A Crônica, o Poema, a Revista”, onde discutirão, junto ao mediador da mesa e escritor Ademir Demarchi, para falar de suas produções no campo literário e sobre a Revista Granta, projeto que produziram em conjunto.

21 de novembro

O sábado começa com uma mesa mediada pela produtora cultural Simone Oliveira e composta pelo professor e sociólogo Reginaldo Prandi e o professor, historiador e escritor Luiz Antônio Simas, às 18h, debatendo “Mito, religiosidade e cultura”, a música, os orixás e outras heranças africanas em suas obras literárias.

Na sequência, às 19h30, o neurocientista, biólogo e vice-diretor do Instituto do Cérebro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Sidarta Ribeiro, e o neurocirurgião Dr. Edson Amâncio debatem a anatomia do sonho e a ciência por trás das histórias que protagonizam nosso sono, com mediação da Coordenadora do curso de Psicologia da Universidade Santa Cecília, Gisela Monteiro.

Para encerrar o penúltimo dia de Tarrafa Literária, às 21h, o publicitário, jornalista e produtor de jornalismo da TV Globo, Jorge Oliveira, media um debate onde o escritor Itamar Vieira Júnior e a escritora e roteirista Beatriz Bracher discutem se a ficção é um espelho do autor e se todas as obras literárias são, de alguma forma, biográficas.

22 de novembro

No domingo (22), às 18h, o ator, produtor teatral e escritor Otávio Júnior e a jornalista e escritora Adriana Carranca debatem, com mediação de Simone Batista, o sentimento que vem de uma pequena aldeia e que pode ser transmitido de maneira universal, com os seus personagens levando suas ideias mundo afora.

Às 19h30, o crítico-cultural do The New York Times e escritor espanhol Jorge Carrion estará com o professor universitário, crítico e escritor Miguel Sanches Neto em mesa mediada pelo jornalista e produtor cultural Rodrigo Savazoni com o debate “Os Livros e as Pessoas”, que terá como tema central os leitores, os livreiros, as bibliotecas e o instrumentos que os une: os livros.

Idealizador e diretor do festival, José Luiz Tahan, ressalta a necessidade de adaptação devido a pandemia, visto que o festival jamais ocorreu de maneira que não fosse presencial. Todavia, alega que a tecnologia só tem a agregar neste momento.

“O meio digital só tem a somar e, a partir das próximas edições, que voltarão a ser realizadas de maneira presencial, poderemos contar com participações pontuais de autores à distância, em qualquer lugar do mundo, conectados virtualmente, nos ajudando nessa missão de incentivo a literatura”, exalta.