Inadimplentes

2º Mutirão de Renegociação de Dívidas continua nesta sexta

O objetivo deste mutirão é atender à demanda devedora no varejo

13 de setembro de 2019 - 08:59

Da Redação

Compartilhe

Descontos atrativos de lojas e bancos estão sendo oferecidos aos clientes com débitos no 2º Mutirão para Renegociação de Dívidas promovido pelo Procon/Santos.

A ação segue até esta sexta-feira (12), das 8h às 16h, no Resolve Aqui (Rua Amador Bueno, 249, Centro).

Os interessados devem comparecer ao local com as faturas dos cartões de crédito ou outros documentos relacionados ao débito pendente.

Participam deste mutirão as lojas Casas Bahia, Ponto Frio, Riachuelo, Pernambucanas.

E ainda: Besni, Americanas, Shoptime, Submarino, Magazine Luiza e Extra.

Além dos bancos Santander, Itaú e Bradesco, consultores de crédito (SPC e Serasa) e da operadora Claro, de telefonia.

O último dia também contará com a presença de representante da concessionária CPFL.

Nesta quinta, até 15h, cerca de 230 pessoas já haviam sido atendidas, de acordo com o chefe de Seção de Informação e Orientação ao Consumidor, Oswaldo Napoli.

O objetivo deste mutirão é atender à demanda devedora no varejo.

Uma solicitação dos próprios consumidores na primeira edição do evento.

Onde foi focado o atendimento de bancos, serviços essenciais e telefonia.

 

Consumidora aliviada

Para Josefa dos Santos Silva, de 53 anos, a oportunidade trouxe alívio para sua vida.

Porque, segundo ela, a dívida no banco foi negociada com praticamente 50% de desconto.

“Foi ótimo e confesso que estava apavorada. Fiquei emocionada porque vou me esforçar para quitar o restante que devo”, conta ela, que fazia salgados sob encomenda e precisou parar de trabalhar para cuidar dos pais acamados.

Do outro lado do balcão nesse mutirão está Luísa Gomes da Costa, de 20 anos, que representa o setor de crediário da Pernambucanas.

Segundo ela, os descontos oferecidos no mutirão são bastante atraentes e diferentes do que seria proporcionado na loja física.

“Vale muito vir ao mutirão, conseguir negociar para obter o melhor preço e ainda ter o nome retirado do Serasa”.