Foto: Divulgação

Resgate

08 DE NOVEMBRO DE 2021

Bicho-preguiça é resgatado por servidor na Rodovia Rio-Santos

Animal foi devolvido à mata pelo servidor

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Foi em uma fração de segundos que Edmilson Alves de Almeida, 54 anos, percebeu, na manhã desta segunda-feira (8), a presença de um bicho-preguiça no acostamento da Rodovia Manoel Hypólito do Rego (Rio-Santos), entre os quilômetros 234 e 233.

Morador no Marapé e há 33 anos funcionário da Prefeitura de Santos, ele se encaminhava para mais um dia de trabalho em Caruara, dirigindo o veículo em que levava também o subprefeito da Área Continental, Beto Iglesias.

Com a experiência de anos de trabalho no Orquidário, onde, entre outros serviços, incumbia-se do resgate de bichos-preguiça que saiam do parque, Edmilson não teve dúvidas: parou o carro e saiu para resgatar o animal, já na iminência de atravessar a pista. “Eu nem vi a preguiça e, quando ele parou, perguntei o que tinha acontecido”, comentou Iglesias.

Edmilson diz não ter sentido medo ao resgatar o animal, fadado a ser atropelado na estrada. “Sei como pegá-lo porque fiz muito isso no Orquidário”, afirmou. A ideia de ambos era levar o bicho-preguiça para a subprefeitura e acionar a Guarda Municipal. “Mas aí, ele começou a esticar o braço em direção à mata, onde há várias embaúbas, e resolvemos colocá-la em uma dessa árvores”, prosseguiu o funcionário, que atua como assessor técnico na Subprefeitura da Área Continental.

A embaúba também é conhecida como árvore-da-preguiça. Só depois de assegurarem-se de que o animal estava a salvo na mata é que ambos seguiram viagem.

Presente da América Central até a América do Sul, o bicho-preguiça tem o corpo coberto por longos pelos, o que lhe garante proteção na camuflagem entre as árvores. Mamífero de hábitos solitários, de baixa temperatura corporal, razão pela qual está sempre em busca de sol, tem como principal característica a lentidão de movimentos, o que o torna bastante suscetível a qualquer ameaça.

Atualmente existem seis espécies de bicho-preguiça e apenas a preguiça-anã-de-três-dedos não existe no Brasil. Algumas espécies conseguem girar a cabeça até 270º.

Com folhas grandes e tronco fino, a embaúba é uma das árvores preferidas dos bichos-preguiça, que têm alimentação quase exclusivamente folívora (à base de folhas). Esses animais preferem suas folhas jovens, bastante tenras, e também adoram descansar nos galhos ondulados das embaúbas.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.