Coronavírus

Com 195 óbitos em 24 horas, São Paulo soma 5.558 mortes de coronavírus

Estado recupera 14,6 mil pacientes e tem mais de 73 mil confirmações

21 de maio de 2020 - 17:20

Elaine Patrícia Cruz

Agência Brasil

Compartilhe

Com o registro de mais 195 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas, o estado de São Paulo tem agora 5.558 vítimas da doença provocada pelo novo coronavírus.

Há mais de 10 mil pacientes internados por suspeita ou confirmação da doença, sendo 4.224 em unidades de terapia intensiva (UTIs) e 6.467 em enfermarias.

A taxa de ocupação de leitos de UTIs no estado é de 73% e, na Grande São Paulo, de 89,6%.

O estado tem 73.739 casos confirmados da doença e registra também a recuperação de 14.669 pacientes.

Respiradores e habilitação

Doria disse hoje (21) que o Ministério da Saúde vai atender as solicitações do governo paulista e destinar 600 respiradores ao estado, além de habilitar 1,8 mil leitos.

Segundo o diretor do Instituto Butantan e coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, Dimas Covas, se esses leitos forem habilitados pelo Ministério da Saúde, haverá um acréscimo de 45% no número de unidades no estado. “Neste momento, agregar mais 1,8 mil leitos homologados e mais 600 respiradores, que deverão estar entregues e instalados até o final da semana que vem, fornecidos pelo Ministério da Saúde, nos ajuda, e ajuda bastante. Mas talvez não seja definitivo dadas as circunstâncias, já que temos um tempo longo pela frente nesta guerra pelo coronavírus”, acrescentou Doria.

De acordo com o secretário de Governo, Rodrigo Garcia, o Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo estima que o estado vá precisar de cerca de 5,5 mil leitos de UTI para o tratamento da covid-19.  “Abrimos 1.881 leitos de UTI. Novos respiradores estão chegando todos os dias”, detalhou Garcia. “

Segundo Garcia, que é também vice-governador de São Paulo, trata-se de um esforço para alcançar o número colocado pelo Centro de Contingência para que ninguém que precise de atendimento em São Paulo deixe de ser atendido. “Mas não se pode fazer isso 100% antecipado porque um leito credenciado funciona e custa, com ou sem paciente. Então, também há uma preocupação, um zelo, com o dinheiro público. Estamos ampliando leitos de acordo com a demanda, mas o número que estamos perseguindo é 5,5 mil novos leitos no estado para enfrentar a pandemia”, acrescentou.

LEIA TAMBÉM: