Você sabe quem foi e o que representa Conselheiro Nébias para Santos? | Boqnews

Curiosidade

25 DE ABRIL DE 2022

Você sabe quem foi e o que representa Conselheiro Nébias para Santos?

Inicialmente chamada de Rua Otaviana, em 1887, a via recebeu o atual nome de Conselheiro Nébias por indicação do vereador João Manuel Alfaia Rodrigues

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Com 4,3 quilômetros de extensão, desde o Centro Histórico até o Boqueirão.

Aliás, única via que liga os extremos – de forma reta – da ilha (da praia ao cais).

Dessa forma, de comércio intenso, passando por unidades médicas variadas (hospitais e clínicas), centros de ensino (escolas e universidades), escritórios, prédios comerciais, edifícios residenciais, bares e restaurantes.

Esse é um resumo da Avenida Conselheiro Nébias, uma das principais da Cidade.

Assim, o que hoje poucos sabem ao passar nessa importante via de Santos é quem foi o personagem que dá nome a ela.

Conheça um pouco a história de Conselheiro Nébias, que hoje empresta nome a uma das principais vias de Santos. Foto: Rogério Bonfim/PMS

Afinal, quem foi o Conselheiro Nébias?

Com a ajuda do historiador José Dionísio de Almeida, que há 20 anos atua na Fundação Arquivo e Memória de Santos (Fams), chega-se à resposta.

Assim, Conselheiro Nébias foi o santista Joaquim Otávio Nébias, conselheiro político do imperador Dom Pedro II.

Nascido em 1º de junho de 1811, ele era uma pessoa conhecida e respeitada no mundo político.

Antes da famosa “Conselheiro” existir, para se chegar à Orla o trajeto era feito pelo Caminho Velho da Barra.

Ele começava no antigo Largo da Matriz (atual Praça da República), e passava pelas ruas Braz Cubas e Luiz de Camões.

Inicialmente chamada de Rua Otaviana, em 1887, a via recebeu o atual nome de Conselheiro Nébias por indicação do vereador João Manuel Alfaia Rodrigues.

Por sua vez, a importância da “Conselheiro” como via de acesso do Centro para a Orla se notabilizou, explica o historiador, nas décadas de 40 e 50, quando boa parte da população santista morava nos bairros da Região Central.

Nesse período, muitos médicos receitavam como “terapia” para vários males um banho de mar, e os deslocamentos entre as duas partes da Cidade se dava pela avenida.

Além disso, Dionísio revela outra curiosidade do trecho final da Conselheiro Nébias: o bairro Boqueirão tem esse nome porque, vindo do Centro, remete a uma enorme boca.

Assim, devido às dificuldades de acesso, as pessoas ficavam deslumbradas com a dimensão do mar, que muitos não tinham visto.

 

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.