Nova forma de empreender tem criatividade como principal ferramenta | Boqnews
Foto: Divulgação/4D economia criativa lab 4d

Economia Criativa

30 DE MARÇO DE 2019

Nova forma de empreender tem criatividade como principal ferramenta

Santos, Cidade Criativa, tem a possibilidade de explorar o próprio potencial criativo para gerar negócios

Por: Ana Caroline Freitas
Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

O conceito de economia criativa vem ganhando cada vez mais força no País e, especialmente, em Santos.

Em 2020, a Cidade receberá encontro anual das cidades criativas da Unesco. O evento e o conceito tem gerado debates na região.

Santos dispõe de rica cultura, e grande parte dela deve ser creditada à presença do Porto. Ele é a porta de entrada de muitas pessoas e, acima disso, de diversas ideias.

Além da cultura, a qualidade de vida coloca a Cidade em destaque nacional e internacional. Na Rede de Cidades Criativas da Unesco, Santos se encaixa na categoria cinema.

Diversos fatores justificam o reconhecimento do município: maior número de cinemas por habitante da região; cursos superiores e livres; qualificação profissional; festivais ligados à área, como o Curta Santos, desenvolvidos por grupos culturais, por exemplo.

Além disso, Santos é escolhida como cenário para diferentes produções audiovisuais.

Desde 2005, existe a Santos Film Commission. É uma agência fomentadora, criada pela Prefeitura, que oferece apoio logístico e de infraestrutura aos interessados em realizar trabalhos na Cidade.

Projetos

O secretário Municipal de Governo, Rogério Santos, afirma que o papel do poder público é investir no incentivo para o crescimento da cidade e da economia criativa que, do artesanato à alta tecnologia, é composta por atividades inclusivas.

A economia criativa foi a aposta para reorganização do território. Santos destaca ainda o grande potencial de infraestrutura ocioso que o Centro Histórico de Santos possui e a necessidade de reurbanização do local.

Além do Centro, outra área degradada que necessita reurbanização é a do Mercado Municipal. Para o secretário, o desafio de renovar o local sem retirar os moradores será resolvido por meio de qualificação e profissionalização.

Santos dispõe de três Distritos Criativos, a fim de dar oportunidades aos menos favorecidos: Vila Nova (área do Mercado Municipal), Valongo e Paquetá. Eles são voltados para o desenvolvimento social, econômico e urbano dos moradores.

Outro projeto a ser explorado é o Parque Tecnológico de Santos. A tecnologia é a principal aliada da sociedade atualmente, e é por meio dela que o talento humano é resgatado na economia criativa.

Sob os pilares “inspirar, conectar e transformar”, o empreendimento busca o progresso, transformando pesquisas em produtos.

Visando estimular o público infantil, o Parque Tecnológico de Santos criou, em parceria com as secretarias municipais de Educação (Seduc) e Governo (Segov), o Parquinho Tecnológico.

O projeto permite que as crianças tenham contato com robótica, mídias e empreendedorismo a partir dos 7 anos de idade.

Baixada Santista

Além de Santos, outras oito cidades fazem parte da região metropolitana. Ana Carla “Cainha” Fonseca, economista e professora da Fundação Getúlio Vargas (FGV), enxerga possível alinhamento estratégico entre os outros municípios para trabalhar a economia criativa.

Entretanto, é necessário pontuar quem encara o segmento com prioridade: “Às vezes dois, três ou quatro municípios acabam se engajando, e os outros vem depois, porque cada um tem o seu momento”, explicou.

Para Denise Covas, presidente do Lab 4D (Laboratório de Inovação em Economia Criativa e Negócios) e colunista do Boqnews, boa parte da população não tem devido conhecimento do que acontece na Cidade – o que ocorrem nas áreas cultural, esportiva, entre outras.

Com isso, o evento internacional em 2020 ampliará a visão dos munícipes.

Denise, que também é organizadora do Santos Jazz Festival, cita o evento musical como uma oportunidade para exercer a economia criativa e fomentar o turismo santista.

Além disso, ela ressalta a necessidade de união e entendimento das diferentes vertentes da economia. Arquitetura, audiovisual, música, por exemplo, dentro de um contexto.

Dessa forma, Denise enxerga positivamente o ambiente de Santos para o investimento, de forma a passar a Cidade para outro patamar na geração de negócios e empreendedorismo.

Empreendedorismo

Outro termo que vem ganhando força é a capacidade de inovar no mercado de trabalho.

Com isso, aparecem as startups, empresas criadas em um cenário incerto, que trabalham um modelo de negócio repetível (possível de trabalhar em larga escala) e escalável (gerador de lucro crescente).

Essas empresas novas geralmente apresentam fôlego curto e, para lidar com isso, contam com a ajuda de aceleradoras.

A função das aceleradoras é, portanto, unir empresas grandes e iniciantes para estimular negócios.

O empreendedorismo está muito ligado ao público jovem.

Por isso, empresas do segmento mantém proximidade com as universidades, para acompanhar de perto possíveis potenciais de desenvolvimento.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.