Foto: Divulgação/PMS

Santos

03 DE SETEMBRO DE 2021

Programação em Santos chama a atenção para a doação de órgãos

A Secretaria de Saúde de Santos, programou eventos durante este mês para chamar a atenção da importância da doação

Por: Da Redação

Mais de 45 mil pessoas no Brasil estão na lista de espera de doação de órgãos e tecidos. Somente no Estado de São Paulo, o número chega a quase 18 mil.

Como forma de alertar para essa questão, a Seção de Captação de Órgãos e Tecidos (Secapt), da Secretaria de Saúde de Santos, programou eventos durante este mês para chamar a atenção da importância da doação.

Para dar início às atividades, ficou pronto esta semana um mural em grafite em frente à UPA Zona Leste, criado pelo artista Catts, mostrando os principais órgãos doados, como rim, coração e pulmão. Painéis digitais e busdoor (publicidade em ônibus) também reforçarão a importância da doação.

O viaduto na entrada da Cidade também já recebeu iluminação especial para reforçar a campanha.

Segundo a chefe da Seção de Captação de Órgãos e Tecidos (Secapt), enfermeira Danielle Caliani Barbosa Machado, na sexta-feira (3) será feita uma divulgação sobre a doação de órgãos na feira livre da Avenida Senador Rodrigues Alves, no Macuco, a partir das 8h.

“A necessidade de receber um órgão gera um impacto muito grande nas famílias dos pacientes que esperam na fila. Geralmente, os órgãos das pessoas que morrem se perdem. Quando o Município se propõe a ter um serviço que se dedica 24h para essa sensibilização, captação e destinação, mostra a preocupação com as necessidades das pessoas. Os órgãos de entes queridos podem ajudar alguém a ter uma vida saudável”, ressaltou Devanir Paz, chefe do Departamento de Atenção pré-hospitalar e hospitalar (DAPHOS).

Uma live no perfil do Facebook (@FundacaoPinacotecaBenedictoCalixto) e no canal do YouTube (pinacotecabenedictocalixto) da Pinacoteca Benedicto Calixto será realizada no dia 9, às 16h.

No dia 11, das 8h às 17h, profissionais da rede pública municipal passarão por atualização em captação de órgãos, com o médico Reginaldo Boni, em um hotel no Valongo.

‘Desmistificando a doação de órgãos’ será o tema de outra live, no dia 22, às 19h, nos perfis @doe_vida_santos e @rededeixevivo no Instagram.

No dia 23, às 16h, representantes de religiões participam de encontro, via zoom, para tratar do tema ‘A doação de órgãos e a religião’.

Também via zoom, serão realizados encontros com profissionais de Saúde de Itapetininga.

Alunos do Centro Acadêmico da Medicina da Unimes participarão de mutirão, na Praça das Bandeiras, Gonzaga, no dia 25, das 10h às 14h.

Segundo destaca Danielle Caliani Barbosa Machado, por conta da pandemia, o estado de São Paulo apresentou redução de 32% nos transplantes no ano passado, em função da baixa na doação de órgãos e tecidos.

A rede pública municipal também sentiu a queda: foram 12 órgãos captados em 2019, apenas quatro no ano passado, e dez este ano.

“Há grande procura por rim, por várias questões como casos de hipertensão e diabetes, além de questões genéticas. Lembramos que o rim é um dos órgãos que podem ser doados em vida”, destaca a chefe da seção.

A doação é sempre antecedida por uma entrevista e autorização da família.

Precisa ser constatada a morte encefálica (quando o cérebro para de funcionar, mas o coração ainda está batendo).

Para essa confirmação, há legislação específica do Conselho Federal de Medicina: três médicos (que não podem integrar equipes de transplante) têm de dar o aval e, só depois, entra a fase da entrevista com a família.

Na rede pública municipal, o setor pode ser acionado pelo telefone 3221-4230.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.