O diretor do campus Unifesp BS, Odair Aguiar Jr, falou dos planos e dificuldades da instituição universitária federal. Foto: Reprodução O diretor do campus Unifesp BS, Odair Aguiar Jr, falou dos planos e dificuldades da instituição universitária federal

Alteração

04 DE AGOSTO DE 2021

Unifesp estuda mudar unidade para Centro Histórico de Santos

Aos 17 anos da sua chegada à Baixada Santista, a Unifesp/BS estuda a possibilidade, em parceria com a prefeitura de Santos, de transferir uma das suas sedes para o Centro Histórico. Além disso, a proposta, ainda em fase inicial, busca ser uma alternativa para a transferência da unidade em um novo espaço no bairro. Assim, […]

Por: Fernando De Maria

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Aos 17 anos da sua chegada à Baixada Santista, a Unifesp/BS estuda a possibilidade, em parceria com a prefeitura de Santos, de transferir uma das suas sedes para o Centro Histórico.

Além disso, a proposta, ainda em fase inicial, busca ser uma alternativa para a transferência da unidade em um novo espaço no bairro.

Assim, durante campanha eleitoral, o prefeito Rogério Santos (PSDB) prometeu a revitalização do Centro.

E ainda: chegou a divulgar que pretendia trazer uma universidade para o local.

Aliás, no seu plano de governo, no item 455, tal iniciativa fica clara ‘Promover o retrofit e a requalificação dos edifícios do Centro Histórico para implantação de instalações de universidade’ 

Portanto, ao que parece, a Unifesp deve ser esta opção.

Prédio da Unifesp - Av. Ana Costa, 95, Vila Mathias

Ainda em fase embrionária, ideia é transferir unidade localizada na Avenida Ana Costa, 95, para o Centro Histórico. Foto: Divulgação

Campus 

Assim, a transferência seria do prédio localizado na Avenida Ana Costa, 95, na Vila Mathias, onde a instituição começou em Santos há 17 anos.

Ou seja,  2.777 m2 de área.

Além disso, a instituição usa um terreno vizinho enquanto o contrato estiver em vigor.

Desde o início, a locação é paga pela Prefeitura.

Por fim, o  valor mensal é de R$ 55 mil  à empresa Engeterpa Construção e Participações, com reajuste anual.

O acordo foi firmado ainda na gestão do ex-prefeito Beto Mansur, em 2004.

O contrato atual em vigor se encerra no final de 2022.

Em entrevista ao Jornal Enfoque – Manhã de Notícias desta terça (3), o coordenador regional do campus da Baixada Santista, Odair Aguiar Jr, explica que já iniciaram as visitas a imóveis localizados na região central da Cidade, “mas ainda existem mais perguntas que respostas”, ressalta.

“Estamos fazendo um estudo de viabilidade para ver se será possível ou não esta mudança”, acrescenta.

Por parte da prefeitura, os contatos estão sendo feitos com o secretário de Assuntos Portuários e Desenvolvimento da Região Central, Julio Eduardo dos Santos.

Aguiar Jr. explica que após o acerto da viabilidade técnica, como instalação e adequações de laboratórios, além da definição dos custos, o estudo será apresentado à comunidade acadêmica para aprovação ou não da mudança.

“Precisamos saber quem vai pagar a conta”, salienta.

Assim como outras universidades federais, o corte de verbas tem sido uma constante.

O diretor do campus Unifesp BS, Odair Aguiar Jr, falou dos planos e dificuldades da instituição universitária federal

O diretor do campus Unifesp BS, Odair Aguiar Jr, falou dos planos e dificuldades da instituição universitária federal. Foto: Reprodução

Cursos

Assim, se a ideia prosperar, alunos de cursos de Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Nutrição, Educação Física e Psicologia serão transferidos.

Além disso, laboratórios, como de Engenharia Ambiental, do Instituto do Mar, ganharão um novo espaço.

Dessa forma, não se descarta, também, a possibilidade de imóveis na região central também serem adequados para a instalação de repúblicas para estudantes.

Assim, se isso ocorrer, além de uma promessa de campanha do prefeito, a medida poderá ser o pontapé para a revitalização comercial e residencial do bairro.

O campi da Unifesp na Baixada Santista tem 2.550 alunos de graduação e pós-graduação.

Eles são distribuídos em unidades próprias e outras locadas pela Prefeitura.

No entanto, em razão da pandemia, as aulas presenciais não foram retomadas, mas as discussões para o retorno das atividades avançam.

Entre os desafios estão a formatação do espaço do refeitório, localizado na unidade central.

Expansão

Durante o programa, o coordenador salientou também os planos para expansão do campus.

Ou seja, trata-se de um terreno em frente ao campus Mariângela Duarte, na Rua Silva Jardim, para implantação de um espaço poliesportivo.

Assim, o espaço atenderia, em especial, alunos do curso de Educação Física.

Atualmente, a área esportiva da universidade ocupa quadra de uma escola particular na Ponta da Praia.

Além disso, há ainda a unidade à Rua Carvalho de Mendonça, que pertencia à Universidade Católica de Santos.

Por sua vez, existe também a expectativa de expansão da unidade caso recursos na ordem de R$ 6 milhões sejam garantidos para a recuperação no antigo colégio Docas.

Por sua vez, o imóvel foi repassado pela Prefeitura à instituição.

Além disso, são negociadas áreas federais na Ponta da Praia para abrigar o Instituto do Mar.

Neste caso, as tratativas estão sendo feitas com a SPU – Secretaria de Patrimônio da União.

A deputada federal Rosana Valle (PSB) tem intermediado as negociações.

Prefeitura

Em nota, a prefeitura de Santos limitou-se a informar que está trabalhando, em parceria com a Unifesp “no sentido de ampliar as atividades, laboratórios e cursos do campus universitário na cidade”.

Confira o programa completo

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.