CinemAqui no Boq
Vinicius Carlos Vieira

Saiu da faculdade de jornalismo e descobriu que não sabia fazer mais nada a não ser escrever sobre cinema. Resolveu virar crítico. Hoje, é editor e crítico do site Cinema Aqui (@cinemaqui), além de ser produtor do Nerd Cine Fest. No twitter pode ser encontrada no @vinicvieira

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Novo filme da franquia Harry Potter aposta em novo rumo e novo mundo. Confira a crítica.

22 de novembro de 2016 - 19:36

Compartilhe

bannerSe você achava que o mundo de Harry Potter tinha ficada no passado, saiba que Animais Fantástico e Onde Habitam é a prova cabal de que a mente inventiva da escritora J.K. Rowling está bem longe de “entrar de férias”. Melhor ainda, é hora agora conhecermos um novo e ainda mais espetacular mundo.

Animais Fantásticos… atravessa o Atlântico e aporta em Nova Yorke no ano de 1926 junto de Newt Scamander (Eddie Redmayne), um pesquisador que percorre o mundo atrás desses tais animais fantásticos. Todos já ouviram falar nele, já que seu livro (homônimo ao filme) faz parte do currículo de Hogwartes, (assim como também foi lançado no “nosso mundo”).

Mas tanto o livro do jovem Harry Potter, quanto aquele que você pode ter visto em alguma prateleira, são apenas guias, espécies de catálogos dos animais, nada tem a ver com a trama do filme, escrita pela própria Rowling em seu primeiro trabalho de roteirista. E aqui a grande notícia do filme: a escritora britânica tem a mesma habilidade e capacidade criativa na hora de escrever direto para o cinema. Na verdade, ela faz um trabalho tão fantástico quanto os animais de Scamander.

O filme segue o herói às voltar com a perda de sua mala, onde guarda seus animais, mas também cruzando o caminho de um “no-maj” (versão americana dos “trouxas”), de uma ex-agente do MACUSO (espécie de Ministério da Magia “yankee”) e sua irmã. Um grupo de párias que combinam com esse inseguro e excêntrico Scamander e que acabam ajudando-o a recuperar seus animais. Do outro lado dessa trama, as autoridades do mundo da magia estão alertas pela ameaça de um novo vilão e ainda uma misteriosa força que vem atacando a cidade.

Mas como eu disse, Rowling faz um trabalho digno de palmas, já que não são só essas duas tramas andando lado à lado, são mais dois arcos envolvendo outros personagens e que caminham até que tudo se encontre em um final empolgante e poderoso o suficiente para fechar tudo com chave de ouro.

animais-fantasticos-criticaUma trama complexa, inteligente, ágil e que nem por um segundo se permite ser menos do que divertida. Melhor ainda, pela primeira vez em toda mitologia de Harry Potter, não há espaço para nada a não essa história bem amis adulta e que conta dessa vez com a maturidade de um espectador que cresceu com os oitos filmes do bruxinho. Animais Fantásticos… então é um desafio a esse antigo espectador, assim como um deleite maior ainda para os já iniciados.

E tudo isso só funciona tão bem graças ainda a um esmero estético incrível. Tudo ali é novo ao mesmo tempo que está dentro de uma mítica maior. Assim como tudo parece novidade, um novo mundo a ser explorado não só nesse filme, como nos quatro filmes que Rowling afirmou que ainda terão.

Um único deslize disso tudo talvez seja algumas decisões estéticas do diretor David Yates (que já tinha dirigido os últimos quatro filmes de Harry Potter). Ainda que ele saiba valorizar demais o design de produção e o visual como poucos, parece continuar apostando em uma escuridão um pouco além da conta.

Mas ainda assim Animais Fantásticos e Onde Habitam é a prova de que ainda veremos muito desse novo mundo nos cinemas. Sorte a nossa.

Críticas desse e de outros filmes você pode encontrar no CinemAqui