Arte de Conviver
Laercio Garrido

Professor universitário e escritor.

Conta corrente emocional

29 de março de 2012 - 19:57

Compartilhe

A conta corrente emocional tem semelhanças com a conta corrente bancária, pois aceita depósitos, registra retiradas e multiplica os investimentos. Mas ela é de fundamental importância na vida do ser humano.


Quando duas pessoas iniciam um relacionamento, cada uma abre sua conta corrente com a outra baseada nas atitudes e comportamentos futuros. Elas podem não perceber o que fizeram, mas daí para frente o saldo dessa conta deverá permanecer positivo, caso contrário os atritos e desencontros na relação serão inevitáveis.


Seja na vida pessoal, entre pais e filhos, entre cônjuges, ou nas relações de trabalho envolvendo líderes e seus liderados, a conta corrente necessita de investimentos contínuos de cortesia, ética e respeito, entre outros, para “engordar” o saldo. As retiradas, ao contrário da conta corrente bancária, nunca deverão ocorrer como, por exemplo, promessas não cumpridas ou ofensas descabidas. Esse tipo de conta corrente, não tem cheque especial, portanto se o saldo ficar negativo haverá sequelas negativas para o convívio saudável dos envolvidos.


O gerente pode ser um investidor financeiro excelente, aplicando suas reservas em fundos de alta rentabilidade, segurança e liquidez. No entanto, seus comportamentos inadequados com os subordinados e colegas, minam sua credibilidade e suas contas correntes emocionais não saem do “vermelho”. Aqui e ali ele recebe sinais de insatisfação da equipe – como o gerente do banco avisando sobre o estouro do cheque especial – mas sua falta de percepção impede que ele corrija os problemas existentes.


A moeda dos depósitos emocionais é representada pelos comportamentos positivos, os quais devem ser continuamente investidos e reinvestidos para potencializar o saldo da conta corrente.


O bom investidor emocional acredita no valor e potencial das pessoas, gerando confiança e obtendo a credibilidade em troca. No campo pessoal, o relacionamento do pai com o filho adolescente que apresenta a mistura explosiva da personalidade forte versus imaturidade versus excessiva autoconfiança, pode ser extremamente frustrante.


Todavia os pais devem perseverar com muita paciência nos depósitos emocionais, e quando os filhos não os perceberem trocar logo de investimento. Evitar ao máximo as retiradas da conta corrente com o filho adolescente irá compensar todos os esforços.


Os principais depósitos que o líder eficaz deve fazer nas contas correntes dos subordinados para ganhar sua admiração e confiança são: comunicação clara e objetiva, humildade positiva, empatia, cumprimento das promessas, respeito, ética, coerência entre os atos e palavras, preocupação com o desenvolvimento da equipe, definição de desafios viáveis, reconhecimento e delegação.


As retiradas mais críticas a serem evitadas são: arrogância, não reconhecimento dos próprios erros, comunicação confusa, assédio moral, críticas não construtivas, incapacidade para ouvir, manipulação, quebra de promessas, falta com a verdade e deslealdade.


O ser autêntico que realmente se preocupa em respeitar e valorizar seus semelhantes não pode se esquecer de praticar seus investimentos emocionais. O verdadeiro amor e a amizade são sentimentos importantes, mas somente cumprem seus objetivos quando se transformam em comportamentos adequados.