Dr. Bruno Pompeu

Frio e calor

Novo artigo do médico Dr. Bruno Pompeu

28 de novembro de 2018 - 17:30

Compartilhe

Somos amigas e da mesma família.

Quando o verão vai chegando, os dias quentes e longos me fazem mais alegre, ligeira e solidária.

Ando horas e horas e não me falta força para o trabalho.

Fico mais esperta e participo da sociedade com alegria, distribuindo o que tenho e consigo com o meu trabalho, de tarefas difíceis, pesadas e diuturnas.

Já minha amiga padece no calor e, por isso, prefere o entardecer. Gosta do tédio, mas vive até a morte para poder cantar. Como ama cantar!

Quando chega o frio, aos poucos me entristeço e vou me recolhendo. Fico enclausurada, sem sair, numa introspecção típica da nossa família quase que desaparecendo por meses.

Minha amiga, então, some. Não vemos nem sinal. Muito prazer, somos a “Cigarra e a Formiga” da Fábula de Esopo, escrita um escravo que viveu na Grécia antiga contava histórias a partir da observação da natureza viva.

Pois bem, conte histórias aos seus filhos, netos, às crianças à sua volta. Faça isso olhando em seus olhos, com caretas e expressões faciais. Converse com elas.

Tablets e smartphones não interagem com as crianças e provocam danos psicológicos comportamentais muito importantes, às vezes, irreparáveis.

As crianças de hoje, precisam, merecem e devem ser bem informadas – e amadas.

Bruno Pompeu.