Geração de empregos | Boqnews
Foto Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Opiniões

09 DE SETEMBRO DE 2022

Geração de empregos

Por: Jairo Sergio de Abreu

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Uma das apostas da campanha eleitoral do presidente Jair Bolsonaro é a diminuição do desemprego no País, o que é verdade em comparação com dados dos últimos anos. No entanto, na Baixada Santista, os números são bem menos animadores do que no restante de São Paulo.

Alta paulista I

Até julho, o Estado acumulou geração de 455 mil empregos, com crescimento de 3,6%, correspondendo a 29% do total criado no País, de acordo com estudo da Fundação Seade com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Já no acumulado de 12 meses foram gerados 719 mil empregos formais.

Alta paulista II

A performance paulista deve-se ao crescimento percentual expressivo em regiões metropolitanas como Ribeirão Preto (5,1%), Campinas (4,1%), Sorocaba (4,4%) e a grande São Paulo (3,2%). Enquanto isso, a Baixada Santista registrou uma elevação de janeiro a julho de meros 1,9%, com saldo de 6.542 empregos.

Patinho feio I

Pouco para uma região que tem o maior Porto da América Latina e que escoa praticamente 1/3 de toda a movimentação econômica do País. Atualmente, o estoque de empregos formais é de 350.617 – ou seja, é como se praticamente toda a população de Praia Grande tivesse emprego em carteira. Ínfimo para uma região com mais de 1,9 milhão de habitantes.

Patinho feio II

Isso significa que menos de 1 em cada 5 moradores da região (18%) têm emprego formal (de forma geral). Já na região metropolitana de Ribeirão Preto, esta relação é de quase 3 a cada 10 moradores (28%), pouco menos que na região de Campinas, com 31% de ocupação formal.

Migalhas

Por isso, urge a necessidade de mais investimentos e geração de empregos na Baixada Santista. Os números mostram como a região vem perdendo espaço a cada ano em relação ao crescimento no Estado. Ou seja, enquanto o interior e a capital avançam, a Baixada Santista fica com as migalhas. As eleições são fundamentais para colocar esta discussão em pauta com urgência.

Relações estremecidas

Já foram melhores as relações entre o ex-presidente do Legislativo e atual líder do governo na Câmara, o vereador Rui de Rosis, e o ex-prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa.

Multa

Por colocar uma faixa enaltecendo a emenda parlamentar destinada para reforma da praça Ilda Trilli Gomes, na Ponta da Praia, o vereador Sergio Santana, candidato a deputado estadual pelo PL, foi multado em R$ 5 mil – valor a ser pago em 15 parcelas – pela Justiça. Consultado, ele optou em não entrar em detalhes sobre a multa aplicada a título de dano moral.

Sem luz

 

Apesar do cidadão pagar mensalmente a taxa de cobrança de luz na conta, visando a manutenção da iluminação pública, a situação tem piorado cada vez mais em Santos. Na Avenida Pedro Lessa, junto ao Canal 4, dos cinco postes existentes na quadra, três estão com lâmpadas queimadas. Seria proposital para fortalecer a PPP da iluminação pública?

Quem Responde?

Será…
que, no próximo pleito, a Baixada Santista conseguirá ampliar o número de representantes na Câmara Federal e Assembleia Estadual?

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.