Vida & Prazer
Marcia Atik

Psicóloga clínica e terapeuta sexual e de casal

Mulher e sexo

04 de agosto de 2014 - 10:30

Compartilhe

Mais uma vez resolvi escrever sobre um tema que talvez nem achasse tão importante, mas sua relevância se dá pelos inúmeros e-mails que recebo sempre com questões que permeiam a sexualidade feminina e suas dores e repressões. Dor durante as relações sexuais é chamada de dispareunia e tem várias causas entre físicas e emocionais.

A causa mais comum entre mulheres acima dos 50 anos é a diminuição de lubrificação, facilmente resolvida com reposição hormonal ou o uso de cremes apropriados, sempre com acompanhamento médico. Em mulheres jovens e fisicamente saudável, a dor na penetração pode ser resultado de excitação insuficiente, pouca intimidade ou mesmo por falta de experiência de ambos os parceiros nesse jogo que é o jogo da sedução e da estimulação sexual.

Vale dizer que conflitos no relacionamento podem interferir mesmo que o desejo ou a estimulação estejam suficientes.

Além disso, revistas, a tv ,o cinema, além das amigas estão sempre passando um padrão de sexualidade, principalmente femininos que nos deixam todas confusas, atônitas ou mesmo complexadas.

As cobranças ficam ainda mais intensas quando o relacionamento por diversos motivos, não necessariamente sexuais, está desconfortável ou insatisfatório, então acontece algo devastador para a autoestima.

Atualmente, o termo frigidez é comumente ligado a toda e qualquer insatisfação na vivência sexual, falta de desejo, afastamento da busca do prazer e ausência de orgasmo fazem parte do cotidiano de quem enfrenta a frigidez
Antes focada apenas na falta de orgasmo, a frigidez, atualmente, é entendida em um sentindo mais amplo, abrangendo as disfunções sexuais ligadas a falta de prazer e de desejo.

Mas a frigidez é a negação da sexualidade no seu sentido mais amplo e erótico. É um estado de falta de interesse e incapacidade geral da busca pelo prazer.

A pessoa frígida ou com disfunção orgástica, sendo mais correta, tem um curto-circuito não apenas na sua relação com o sexo, mas em vários aspectos da sua vida.

Por sermos indivíduos plurais, várias causas podem contribuir com essa disfunção, mas o importante é que independente do que mantenha insatisfação a busca pelo equilíbrio e pela felicidade seja constante, se essa busca ficar comprometida a frigidez toma conta da vida e aí o buraco é mais fundo.

Existem também alguns fatores físicos tais como infecções, há casos mais raros que a dor e o desinteresse é devido a incompatibilidade do tamanho dos órgãos genitais.

A falta de intimidade e de confiança intimida a entrega e acaba dificultando, mas o importante é identificar qual o fator que impede a vivencia plena da sexualidade de maneira prazerosa e corrigir, pois qualquer uma dessas possíveis causas enumeradas são de certo modo fáceis de se resolver sob pena de tornar um problema crônico e prejudicar definitivamente a vida sexual repercutindo em todas as outras áreas da vida tais como física e social.

Portanto, mulher, aproprie-se de sua cama assim como você se apropriou de todas as outras áreas da sociedade.