Vida & Prazer
Marcia Atik

Psicóloga clínica e terapeuta sexual e de casal

Não se nasce homem… torna-se

16 de novembro de 2014 - 10:28

Compartilhe

Findo o mês de outubro, quando todos os dias foram tingidos de rosa, para lembrar a necessidade do auto exame para fazer o diagnóstico precoce de um câncer de mamas que também pode atingir os homens, apesar de raramente lembrado,eis que chegamos em novembro, e por algumas instituições o Novembro Azul vem com uma campanha dirigida aos homens sobre a necessidade de buscarem atendimento médico para realizar exames preventivos do câncer de próstata e outras doenças masculinas depois dos 45 anos.

Freud disse:’Afinal o que querem as mulheres?’ . E desde então as mulheres carregam a pecha de serem misteriosas,difíceis e tantos outros aspectos que dificultam o relacionamento.

Mas nos dias de hoje é fácil perceber o quanto está sendo difícil traduzir os homens nas suas necessidades e conflitos. Não vejo problema nisso, apenas é importante refletir o quanto todos nós, homens e mulheres, estamos construindo novos paradigmas de relacionamento, a partir do sentir, e abandonando aos poucos, modelos cristalizados de como ser homem e mulher; macho e fêmea, mas muito longe de comportamentos e sentimentos estereotipados permitindo-se a ser o que é de maneira naturalmente construída a partir de desejos e necessidades verdadeiras, essas sim únicas e pessoais.

Em função de um aprendizado primitivo que dicotomiza o ser humano e que aos homens se cobram ainda hoje, a proteção, o cuidado, a força e às mulheres resta o desmaiar e chorar ,mesmo que subliminarmente, pois em sã consciência não acreditamos mais neste modelo, acaba-se criando uma interdição ao homem da vivência emocional plena.

Esse novo conflito que sujeita os homens como uma perda oufraqueza está na verdade pontuando as necessidades verdadeiras desse novo homem.
Pode-se dizer sem errar que os homens estejam vivendo uma crise,mas não de desestruturação ou medo ou fragilidade como alguns desavisados dizem,mas sim uma crise de transformação e que se bem enfrentada, com perdas e ganhos se traduzirá na verdadeira força do homem atual.

Força que não necessariamente está traduzida nos músculos, mas sim na sua capacidade de ser inteiro,razão e emoção,choro e riso,medo e coragem.