Vida & Prazer
Marcia Atik

Psicóloga clínica e terapeuta sexual e de casal

Paixão pelo amor

28 de novembro de 2013 - 20:07

Compartilhe

Segundo o Aurélio, amor é um sentimento que predispõe alguém a desejar o bem de outrem, afeto ditado por laços de família, afeição, amizade, carinho, simpatia, ternura, apego a algum valor que proporcione prazer, cuidado, zelo, carinho.
Paixão é um sentimento ou emoção levado a um alto grau de intensidade, sobrepondo-se à lucidez e à razão, afeto dominador e cego; obsessão, arrebatamento, cólera, parcialidade marcante; fanatismo, cegueira.  
Ufa!!! Cansei!!!Emoções tão vitais, mas de qualidade tão diferentes, que aparentemente expressam sentimentos distintos, mas que na verdade muitas confusões provocam quando as ações não correspondem ao sentimento entendido. Acontecem tudo junto e misturado.
Sempre que a questão é adultério a palavra mais recorrente é sem vergonhice e traição. Eu até acho que tem quem cometa o adultério por sem vergonhice, mas é muito mais um sinal de fraqueza ou de autoestima rebaixada do que de paixão ou amor.
Assisti muitas vezes pessoas que caíram nesse engodo e desestruturaram toda uma história de vida afetiva, e familiar e depois se arrependeram , pois em nome de um sentimento avassalador que convencionamos chamar de paixão abrem mão de uma relação construtiva e quando falo em construção também, me refiro a família.
Entendo que saber de um caso em que seu parceiro esteja envolvido abala todas as crenças em si mesmo além da decepção, essa que por muitas vezes é difícil de curar.
Mas se apesar da traição tiver fidelidade de propósito entre o par, e os dois caminharem no mesmo sentido, geralmente consegue-se superar curando a ferida e reconstruindo a relação. Distinguir amor de paixão é imprescindível nesse momento, pois amor é aquele sentimento que permite imperfeições, mas também da possibilidade de zelar, cuidar e acolher o outro na sua plenitude isso é no acerto e no erro.
Já a paixão é aquilo que geralmente ocorre entre pessoas que não se conhecem e se unem num ideal romântico, sexual e feérico, fazer esse pacto de fidelidade com seu companheiro e juntos enfrentarem momentos cruciais é o ponto mais importante e mais apaixonante da convivência a dois.
Sabemos que estar sempre na busca veloz da paixão insaciável  é delicioso, mas profundamente frustrante . Ela que vem de fora é como a droga que inunda o cérebro e nunca satisfaz, ao contrário de quando  nos apropriamos do sentimento pelo outro. As várias facetas dessa relação aparecem e ao conhecermos mais e mais esse  outro sentimento dará espaço para algo mais concreto e constitutivo e é apaixonante amar sua própria história construída tijolo por tijolo.
Apaixonar-se pelo amor talvez seja a melhor receita, pois é um investimento que dá como juros, além da paixão, o desejo e o prazer.