Horóscopo
Bel Quintal

Previsão dos signos

Confira a previsão dos signos com a astróloga Bel Quintal

18 de agosto de 2017 - 12:21

Compartilhe

Áries: Domine seu temperamento ou ele dominará suas tomadas de decisão. Melhor ser senhor do seu destino do que escravo dos seus erros.

Touro: Nem gregos, nem troianos. Agradar a todos é pagar um preço muito caro. Seu saldo que fica insuficiente por depositar sorrisos em egos alheios.

Gêmeos: Calma, respira fundo. Conte, medite, acenda uma vela. Só apelando para o universo limpar o lixo em que você insistiu em carregar no coração.

Câncer: Ou é tudo ou nada. Não existe meio termo na linha tênue da sua vida. Ou você se acostuma com hipocrisia ou se liberta do que nunca foi verdadeiro.

Leão: As melhores coisas na sua vida foram sempre semeadas entre amor e luta. Colha os frutos, saboreia a paz que hoje possui, pois foram regadas oras por alegria, oras por suor.

Virgem: Talvez suas expectativas diante dos seus objetivos andem exigindo demasiadamente de você. Ou é porque você quer enxergar aquilo que não existe, ou vê, mas não quer acreditar.

Libra: Mais harmonia dentro a sua força de transformação. Se você sabe aonde quer chegar não se preocupe com o destino em si. Aproveite a viagem.

Escorpião: Quem diria que seu nome seria pronunciado por bocas das qual você se escondia. A coxia não é mais o seu lugar. O palco será sua casa. A plateia te espera ansiosamente para te aplaudir.

Sagitário: Melhor é aproveitar a vida do que gastar tempo reclamando dela. Afinal, o mesmo tempo que perde em dizer mal do seu presente é dizer mal da própria sorte.

Capricórnio: Aprenda a vencer as suas maiores desculpas. São elas que limitam, impedem, mobilizam e nada trazem a não ser o vazio constante da decepção.

Aquário: Afaste de você aquilo que não lhe agrega. Gastar tempo agora com vidas que não são sua, é gastar energia. Deixa essa tua alma livre que o espírito agradece.

Peixes: O melhor da dificuldade é que você vê o quanto pode ser versátil, ser de inúmeras maneiras um ser melhor do que já foi. Santa privação, destrói tudo que estava acomodado.