Editorial
Humberto Challoub

Jornalista e Diretor de Redação do Jornal Boqnews. Diretor da Faculdade de Artes e Comunicação da Unisanta

Tempo para elucidar planos

Veja o editorial desta semana do Boqnews

12 de outubro de 2014 - 07:07

Compartilhe

P2-OKCom o início da propaganda eleitoral reservada ao segundo turno, que tem agora como foco principal a disputa entre Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) à Presidência da República, as atenções dos eleitores se voltam para uma análise mais aprofundada em torno das propostas a serem apresentadas por ambos visando a condução dos destinos do País nos próximos quatro anos.

Com tempos equânimes no rádio e na televisão, e a possibilidade do confronto de ideias nos debates a serem promovidos nos principais veículos de comunicação, Dilma e Aécio poderão agora elucidar aos eleitores como colocarão efetivamente em prática seus projetos de governo, detalhar os compromissos assumidos com os vários segmentos da sociedade e, sobretudo, os princípios fundamentais que irão reger o convívio político com os parlamentares escolhidos para ocupar cadeiras no Congresso Nacional.

este sentido, o breve período que antecede a realização do segundo escrutínio, a ser realizado no próximo dia 26, possibilitará delinear com maior clareza o real perfil dos candidatos, a coerência de seus discursos, a consistência ideológica contida em suas proposituras, suas biografias e a capacidade de cada um na apresentação de soluções viáveis para o enfrentamento dos principais problemas que afetam o Brasil, especialmente no tocante às questões econômicas e sociais.

É de se esperar dos candidatos, portanto, que enfim seja dada ênfase aos temas pertinentes aos interesses da população, sobretudo os que demandam maior entendimento e aprofundamento na abordagem. Explicitar projetos e definir as políticas estratégicas a serem adotadas para as áreas de educação, saúde, segurança, geração de empregos, de investimentos em infraestrutura, além dos compromissos inerentes às reformas tributária e política devem representar muito mais do que simples motes de campanha, mas ações factíveis a serem assumidas – e posteriormente cumpridas – com a população brasileira.

Experiências abstraídas das últimas eleições realizadas no País propiciaram ao eleitor olhar com desconfiança as retóricas fáceis e populistas, suspeitar dos discursos milagreiros e absorver o entendimento de que as conquistas almejadas para a sociedade brasileira somente serão possíveis com planejamentos de médio e longo prazos. Da mesma forma, o eleitorado aos poucos vem ampliando sua capacidade crítica e já não está suscetível aos efeitos midiáticos produzidos pelos requintes cinematográficos utilizados pela propaganda eleitoral.

Também já se pode mensurar a repulsa dos eleitores à arrogância de pseudos donos da verdade, à utilização de factóides, às calúnias e difamações lançadas contra candidatos às vésperas dos pleitos. É de se esperar de Dilma e Aécio, portanto, a altivez e a competência inerentes aos que pleiteiam o maior cargo da República. Afinal, a disputa pela conquista de um poder constituído não deve, em momento algum, sobrepor princípios e valores de diginidade e honestidade.