Agora é Com Você!
Rubens Amaral

Médico e apresentador do programa Agora é Com Você - Santa Cecília TV

Uma sociedade de adolescentes

23 de dezembro de 2014 - 08:15

Compartilhe

Paramos na adolescência dos tempos? Evoluímos ou involuímos? Retrocedemos ou estamos numa natural evolução? A sociedade se infantiliza na medida que está perdendo a capacidade de decidir, de escolher.

Um novo poder com silhueta mal definida escolhe e decide por nós, lembrando nossos adolescentes tempos onde, mesmo sem saber por que, caminhávamos juntos numa mesma direção, escutávamos as mesmas músicas, vestíamos as mesmas roupas, usávamos as mesmas gírias, porém, isso era só uma etapa e atingíamos a maturidade, após a necessária experiência na passagem pelo canal de parto de uma adolescência sadia e natural, e então, maduros no tempo e na medida certa, passávamos a dominar, decidir e escolher por conta própria.

Hoje é diferente. Vejo quarentões e quarentonas absolutamente imaturos, tão ou mais adolescentes do que jovens com 15 anos. Personalidades ambíguas a dividir um corpo em franco conflito interior.

Parecem zumbis a desfilar sua insegurança nos relacionamentos familiares e profissionais. Míopes, não enxergam o próximo, nem o mais próximo. Imaturos, hipervalorizam o “status” estético. Ética, nem sabem o que é isso.
Tudo fazem para aparecer, até mesmo enganar para parecer ser. Preocupados consigo mesmos, são extremamente egoístas e umbelicais, na medida que precisam ser olhados, invejados, cobiçados.

Desfilam corpos e roupas e se esquecem que são muito mais que isso. São superficiais e medíocres. Não sabem conversar, muito menos raciocinar. Amar, nem pensar, só sabem se gostar. Dependem visceralmente de elogios para manter a autoestima. São inseguros, mas não gostam de mostrar tal fraqueza, motivo pelo qual mentem e muito.
Adoram o que não têm importância, valorizam o fútil, o efêmero, o passageiro. O dinheiro é seu Deus. Falam pelos cotovelos e não sabem escutar. Adoram roupas, maquiagem, carrões.

Tempos esquisitos e diferentes. Tempos mutantes, nada mais como antes. Tempos de estudantes. Tempos obscuros e inseguros. Apressados e indeterminados. Tempos do aqui e agora.

Tempos sem história. Tempos de poucas vitórias, porém de busca incessante de glória e a qualquer preço. Tempos de muito sexo e pouco amor. Tempos hormonais e temperamentais.

Tempos de mentira ou da mentira?

Feliz Natal em Cristo Jesus.