Foto: Divulgação

Esportes

02 DE SETEMBRO DE 2021

Atleta da Fupes faz história e conquista o ouro no taekwondo nas Paralimpíadas

Nathan Torquato trouxe mais uma medalha de ouro para o Brasil

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Na manhã desta quinta-feira (2), mais um atleta da Fundação Pró-Esporte de Santos (Fupes) brilhou nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, no Japão.

Dessa vez foi o jovem Nathan Torquato, 20 anos, que garantiu a medalha no taekwondo, na categoria até 61 quilos da classe K44 (atletas com limitações de apenas um lado do corpo).

Além da medalha de ouro, Nathan também entra para a história como o primeiro campeão paralímpico da modalidade, já que o taekwondo está estreando na competição.

Um feito inesquecível do lutador que nasceu em Praia Grande, mas foi adotado por Santos, onde encontrou apoio e estrutura para chegar ao topo do mundo, sendo orientado pelo técnico da Fupes, Rodney Saraiva.

Nathan estreou contra Parfait Hakizimana, atleta de Burundi que compete pelo Time de Refugiados, e venceu por 27 a 4.

Ele, enfrentou o japonês Mitsuya Tanaka por 58 a 24, e avançou para a semifinal.

Na fase seguinte, encarou o italiano Antonino Bossolo e, em uma luta mais equilibrada, triunfou por 37 a 34.

Assim, na final, deveria encarar Mohamed Elzayat, do Egito.

O adversário até tentou voltar após sofrer um golpe irregular na semi, mas não teve condições e o brasileiro foi declarado campeão.

Ao contrário da história de muitos paratletas, o esporte entrou na vida de Nathan quando tinha apenas três anos.

Ele, que nasceu com malformação congênita no braço esquerdo, conheceu o taekwondo por acaso e logo se apaixonou.

O talento e a determinação superaram qualquer deficiência e logo ele se destacou no taekwondo convencional, se tornando o líder do ranking brasileiro na sua categoria e garantindo vaga para o Mundial de Cadetes no Azerbaijão.

E foi aí que sofreu a sua maior decepção no esporte.

Nunca um paratleta tinha chegado tão longe.

A partir de 2017, Nathan começou a brilhar no circuito paralímpico.

Foram sequências de campeonatos brasileiro; Parapan-Americanos; além do ouro no Open do Egito, de Las Vegas, da Austrália, dos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru e de Cancun, no México, neste ano.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.