Futebol

Brasil derrota Argentina e garante vaga em Tóquio

Seleção vence por 3 a 0 com grande atuação de Matheus Cunha

10 de fevereiro de 2020 - 17:51

Agência Brasil

Compartilhe

A seleção brasileira de futebol masculino garantiu a classificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio após derrotar a Argentina por 3 a 0, na madrugada desta segunda (10).

O jogo foi válido pela terceira rodada do quadrangular final do torneio Pré-Olímpico realizado na Colômbia.

O grande destaque do triunfo foi o atacante Matheus Cunha, com dois gols marcados na partida.

 

seleção brasileira olímpica

Autores dos gols vitória brasileira sobre os argentinos. Foto: Lucas Figueiredo/CBF

O jogo

Após o Uruguai derrotar a Colômbia por 3 a 1 no primeiro jogo do dia, a seleção brasileira entrou em campo sabendo que precisaria de uma vitória. Para, assim, conseguir sua passagem para os Jogos de Tóquio.

Sabedor disso, o técnico André Jardine fez uma mudança no sistema ofensivo da equipe, colocou Reinier no lugar de Antony.

Esta novidade foi determinante para a vitória. Pois assim, o Brasil passou a concentrar suas ações ofensivas na região central do ataque.

E foi justamente nesta região do campo que o placar foi aberto aos 12 minutos de partida. O camisa 10 Pedrinho deu um lançamento por cobertura para Paulinho, que tocou na saída do goleiro Cambeses.

Com o gol o Brasil passou a trabalhar melhor a bola, esperando a hora certa de matar a partida.

E esta oportunidade surgiu aos 29 minutos. Matheus Henrique fez lançamento longo para o ataque; o zagueiro argentino Pérez erra o corte e a bola sobra para Matheus Cunha; que dribla o goleiro Cambeses com um chapéu e finaliza fraco.

Pérez se recupera e corta parcialmente, mas o camisa 9 do Brasil consegue chutar para fazer 2 a 0.

O segundo gol de Matheus Cunha saiu apenas no segundo tempo, quando o atacante chuta cruzado aos 9 minutos após receber passe de Paulinho. Com este gol o camisa 9 do Brasil se tornou o artilheiro do Pré-Olímpico, marcando 5 vezes.

Com a vantagem de 3 a 0 o Brasil passou a administrar a vantagem até o apito final para garantir a vaga para os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.

LEIA TAMBÉM: