Esportes

Há 18 anos, Santos quebrava o tabu e conquistava o título brasileiro

Conquista histórica veio diante do Corinthians

15 de dezembro de 2020 - 15:43

João Pedro Bezerra

Compartilhe

Há quem diga que o tempo passa voando, já outros vão discordar, o certo é que a memória permanece quando acontece algo especial. No futebol, logicamente isso não é diferente, o dia 15 de dezembro de 2002 nunca será apagado na lembrança do torcedor santista.

Tabu, uma palavra muito utilizada na gíria esportiva e com um significado nebuloso para os torcedores. O Santos FC viveu épocas de glória na década de 50 e 60, tendo diversos craques no elenco, como Zito, Mengálvio, Coutinho, Dorval, Pepe e claro o ‘Rei Pelé’.

No fim da década de 70, surgiram os Meninos da Vila que renovaram o DNA ofensivo do Peixe. Em 1984, o Alvinegro Praiano conquistou o Campeonato Paulista diante do rival Corinthians com gol de Serginho Chulapa, mal sabiam os santistas que o título marcaria o início de um período de vacas magras.

O Santos ficou 18 anos sem ganhar um campeonato importante, até sagrou-se campeão do Torneio Rio São Paulo em 1997 e da Copa Conmebol no ano de 1998, entretanto os títulos não condiziam com a grandeza do clube. Neste intervalo de 1984 e 2002 houveram derrotas doloridas, como o vice campeonato brasileiro em 1995 para o Botafogo e a eliminação na semifinal do estadual diante do Corinthians em 2001, com gol de Ricardinho faltando dois segundos para terminar a partida.

Time desacreditado

Nem mesmo o mais otimista torcedor acreditava que o Santos poderia conquistar o título brasileiro em 2002, o time havia sido eliminado da Copa do Brasil e do Torneio Rio São Paulo, ficando 4 meses sem disputar uma partida oficial. Era o fundo do poço, sem dinheiro em caixa, com as faixas da torcida organizada virada ao contrário, os jornalistas esportivos destacavam que o Peixe poderia brigar contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. O presidente na época, Marcelo Teixeira resolveu contratar o técnico Émerson Leão que buscava se reerguer, após a fraca passagem na Seleção Brasileira.

Sem muitos recursos, Leão resolveu apostar na garotada. Robinho, Diego e Alex ganharam espaço.

A primeira impressão foi boa, antes do campeonato, o Santos disputou um amistoso contra o Corinthians e venceu por 3 x 1, surpreendendo os adversários.

O jogo de estreia do Brasileirão ocorreu na Vila Belmiro, diante do Botafogo, os Meninos da Vila estrearam bem e venceram por 2 x 1, gols de Elano e Diego. O Campeonato Brasileiro de 2002 foi a última edição a ser disputada com finais, no ano seguinte o torneio passaria a ser composto por pontos corridos, como acontece hoje. Naquele campeonato haviam 26 clubes que jogariam em turno único, os 8 melhores avançavam para as quartas.

O Santos começou bem o campeonato, com o time jogando um futebol bonito para frente. A equipe brigou pela parte de cima da tabela, contudo na reta final, o Peixe acabou oscilando e acumulou algumas derrotas, a classificação que já estava encaminhada foi ameaçada.

Na última rodada, o Santos precisava vencer o São Caetano no Anacleto Campanella para não depender de outros resultados, o que não aconteceu o Alvinegro foi derrotado por 3 x 2, mas contou com a ajuda do Gama que já estava rebaixado e goleou o Coritiba por 4 x 0. Dessa forma, a equipe garantiu a classificação na bacia das almas na 8° colocação.

Nas quartas de final o Santos enfrentou o São Paulo, apesar do Tricolor Paulista ter a melhor campanha, os Meninos da Vila deram um show com duas vitórias e uma apresentação de gala de Diego, Robinho, Léo, Elano e Alberto.

Nas semifinais, o Peixe mostrou que estava pronto para ser campeão, não dando chances ao Grêmio na Vila Belmiro, a derrota por 3 x 0 deixou os gaúchos irritados que partiram para cima dos meninos ao longo do jogo. Na partida de volta em Porto Alegre, o gol de Rodrigo Fabri não foi suficiente e o Santos garantiu vaga para a final do Brasileirão, após 7 anos.

O título

Torcedores invadiram o campo ao fim do jogo Foto: Divulgação/SFC

A grande final para encerrar o jejum de títulos do Santos teve um roteiro que somente os melhores roteiristas de cinema poderia realizar.

O Alvinegro Praiano enfrentou o Corinthians na final, as duas partidas seriam realizadas no Morumbi e por ter a melhor campanha, o Timão jogava por dois resultados iguais.

No primeiro jogo, o Peixe passou por cima do adversário, vencendo pelo placar de 2 x 0, com gols de Alberto e Renato já no final. Para quem esperou 18 anos, os 90 minutos não seria fáceis, apesar da vantagem não havia nada definido no confronto.

No segundo jogo, logo no começo do partida, Diego sentiu a coxa e precisou ser substituído por Robert. Na sequência Fábio Costa começou a operar milagres com defesas espetaculares. Até que aos 35 minutos, Robinho imortalizou o lance daquela final. O camisa 7 pegou a bola e deu oito pedalas antes de sofrer o pênalti por Rogério. Na cobrança, ele bateu com muita categoria para abrir o placar. No segundo tempo, o Corinthians cresceu no jogo, principalmente, após a expulsão do técnico Leão.

O Timão virou a partida faltando cinco minutos para os acréscimos do árbitro. A torcida santista estava com receio do filme de 2001 se repetir, mas Robinho fez duas grandes jogadas, deixando Elano e Léo na cara do gol para colocar o Santos novamente em vantagem. A vitória por 3 x 2 pois fim ao tabu de 18 anos e colocou novamente o Santos, como protagonista do futebol brasileiro. Após a conquista, o clube não parou de brigar por títulos, erguendo mais 11 taças até 2020.

O título também, revelou uma nova geração de santistas.

Jogadores

Acima: Alex, Preto, Pereira, Fábio Costa, Renato, Rafael, André Luís e Paulo Almeida. Abaixo: Alexandre, Douglas, Diego, Michel, Robert, William, Léo, Robinho e Elano

Após 18 anos do título, os jogadores que fizeram parte daquela conquista relembraram a final inesquecível. De acordo com o meio campista, Robert o título resgatou a marca do Santos, virando a chave do clube que precisava de um título de expressão para se reerguer.

 

LEIA TAMBÉM: