Final

São Paulo e Corinthians se enfrentam em busca do título do Paulistão

Tricolor paulista busca tenta quebrar hegemonia de 14 anos sem títulos paulistas; Timão entra em campo visando o tricampeonato

14 de abril de 2019 - 11:59

Felipe Rey

Compartilhe

A primeira partida da final do Paulista trará um duelo que não acontecia há algum tempo em decisões.

São Paulo e Corinthians não se enfrentam em uma finalíssima desde 2003. À época, o Timão se sagrou campeão vitória em ambas as partidas por 3 a 2.

Neste domingo, o Tricolor tenta quebrar um tabu de 14 anos: a seca de títulos paulista. O último triunfo aconteceu em 2005, quando a equipe comandada por Leão se saiu campeã em um campeonato de pontos corridos.

Por outro lado, o maior detentor de títulos paulista e atual bicampeão paulista, a equipe do Parque São Jorge busca o tricampeonato regional.

O último tricampeonato do alvinegro aconteceu entre os anos de 1937/38/39.

O São Paulo, por exemplo, nunca obteve um tri. Já o Santos conquistou três tricampeonatos, 1960/61/62. Posteriormente em 1967/68/69 e, por último em 2010/11 e 12.

Já o Palmeiras consagrou-se tricampeão apenas um vez, entre os anos de 1932/33/34.

A partida acontece no Estádio do Morumbi, às 16h, deste domingo (14).

A volta será semana que vem, em Itaquera, às 16h.

Desafio tricolor

A campanha são paulina não foi das mais fáceis. Passando por problemas internos e jogos irregulares, o São Paulo chega à final com expectativas enormes em cima dos garotos de Cotia.

Na última partida contra o Palmeiras, o Tricolor eliminou o rival nos pênaltis em pleno Allianz Parque.

No jogo, a desenvoltura da garotada chamou atenção no confronto. Antony, destaque do time na Copa SP de Futebol Jr vencida pelo São Paulo, mostrou que não está sentindo a pressão de usar a camisa são paulina.

Analisando o time, o jornalista esportivo Luiz Ademar afirmou que a seca de títulos não irá pressionar os atletas.

“O último título paulista conquistado pelo São Paulo, ninguém estava no clube. Mesmo o último título, em 2012, na Sul-Americana, também não tinha ninguém do atual elenco”, assegura.

 

São Paulo vai em busca de quebrar sequência de 14 anos sem títulos paulistas. Foto: Divulgação

 

Ele salienta que, mesmo sem Hernanes e Pablo, no último confronto, os garotos da base se soltaram na partida.

Ademar ainda salienta que ambas as equipes apresentam o mesmo nível de futebol.

“É jogo igual, com 50% de chances para cada lado”, relata.

Contudo, pela baixa idade do time, o jornalista espera que, mostrando aos jogadores a possibilidade de entrar no hall dos grandes ídolos do clube, os atletas sejam blindados pela diretoria e por Cuca.

Porém, segundo ele, os jogadores precisarão manter o mesmo espírito e responsabilidade apresentados contra Ituano e Palmeiras.

Questionado sobre a possibilidade de variações táticas, Ademar foi incisivo.

Na visão dele, o Tricolor não deverá mexer na escalação do 4-3-3 para furar a possível retranca montada por Carille.

“Por jogar o primeiro clássico no Morumbi, a tendência é que o São Paulo parta para cima”, acredita.

Ademar complementa que para furar o bloqueio, o Tricolor deverá partir pro cima no mano a mano com os jogadores de lado de campo, como Antony.

Por fim, ele espera que as dificuldades apresentadas no último jogo também deverão ser sentido nesta final.

 

Em busca do tri

Pensando no duelo contra o São Paulo, o Timão busca se sagrar, pela quarta vez, tricampeão paulista.

No entanto, para isso, precisa demonstrar a postura mesma postura ofensiva do jogo contra o Santos, afirma o jornalista esportivo, Lincoln Chaves.

Para ele, o Timão deverá diminuir os espaços do adversário e também na questão da transição de jogadas.

“O Corinthians joga muito na velocidade dos pontas, porém, ficou devendo neste último jogo”, observa enfatiza.

Chaves questiona o modo de jogo corintiano de levantamentos exacerbados na área. Segundo ele, esse modo de criação acaba se tornando rotineiro e fácil para a marcação rival.

Outro ponto destacado pelo jornalista foi a mudança feita por Fábio Carille no último jogo.

A entrada de Pedrinho no lugar de Vágner Love não surtiu efeito, o que levantou dúvidas ao treinador.

Todavia, ele afirma que neste jogo, pelo porte físico e experiência, a decisão mais sensata seria a entrada de Love.

“Chuta melhor, toma decisões melhores. Pedrinho seria uma opção, por exemplo, para o segundo tempo”, salienta.

Contudo, questionado sobre a possibilidade de jogarem juntos, Chaves indaga: “Quem iria sair para entrada do Pedrinho? Ramiro, Sornóza?”.

Ainda em relação ao elenco, ele afirma que, atualmente, o grupo passa confiança. Ele destaca a habilidade de Cássio em momentos decisivos. Mas afirma, a partida desta tarde não será fácil.

Por fim, o jornalista enfatiza que derrotar o rival será uma pressão maior do que conquistar o tri.

Entretanto, ele ressalta que a existe uma grande importância pelo título, todavia, não deve pressionar os atletas no vestiário.

 

Corinthians entra em campo em busca do tricampeonato Paulista. Foto: Divulgação