Na média, brasileiro gasta até 14% do salário mínimo para beber cerveja | Boqnews

Pesquisa

02 DE AGOSTO DE 2018

Na média, brasileiro gasta até 14% do salário mínimo para beber cerveja

O brasileiro é o 27º no ranking de consumo de cerveja no mundo, mas na hora de pagar a conta é um dos que mais pagam para apreciá-la

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

O brasileiro consome, em média, 6 litros de cerveja por mês.

Isso corresponde a 14% do salário mínimo caso se consuma em bares – e bares caros – de São Paulo, ou 11% em bares do Rio de Janeiro, segundo dados revelados por um estudo do Cuponation com base nos preços de um beer pint (500 ml) em dólares, estimados pelo Deutsche Bank este ano, para 48 cidades em diversos países..

Com base nesses dados compilados no infográfico interativo (confira estudo no link), a plataforma de descontos Cuponation descobriu para cada uma dessas cidades que possuem piso salarial, quanto do salário mínimo local é comprometido para diferentes faixas de consumo médio.

Um tcheco, que consome 12 litros mensais, compromete aproximadamente 7% do seu salário caso ganhe o mínimo.

Caso ele(a) consuma apenas 6 litros, como o brasileiro, o share cai para 4%.

O alemão, cujo consumo mensal é de 9 litros, consome 5% do salário mínimo local.

O belga, com 6 litros mensais, dispõe de 4% – aproximadamente 3 vezes menos que o carioca ou o paulista.

Já para o Estados Unidos, o poder de compra do salário mínimo é um pouco pior: para os 7 litros consumidos pelos americanos, gastam-se 7% do mínimo local.

Cerveja, sol e calor: combinação perfeita, especialmente se a bebida estiver na temperatura certa. Brasileiros consomem, em média, 6 litros/mês Foto: Divulgação

Onde as cervejas são mais caras

Vale a pena, também, destacar quais cidades tem o beer pint mais caro. Dubai (Emirados Árabes) aparece em primeiro lugar, com 12 dólares, ou 46 reais, por 500 ml da bebida; Oslo (Noruega) vem em segundo, com $ 10,30 (39 reais).

Em São Paulo, paga-se quase R$ 14  pela mesma quantidade e, no Rio, R$ 12.

Tais valores correspondem a cervejas em bares – e, como dito, provavelmente bares caros – e não ao popular “litrão” ou mesmo as garrafas de 600 ml que o leitor possivelmente consome nos bares.

Há, também, o efeito da taxa de câmbio: houve durante o ano depreciação do real com relação ao dólar, moeda na qual o estudo do Deutsche Bank se baseou para fazer os cálculos.

Os dados sobre consumo de cerveja, em sua maioria, datam de 2014.

Os tchecos lideram o ranking no mundo com 12 litros mensais.

Alemães e americanos aparecem, respectivamente, em 4º e 17º lugares com 9 e 7 litros.

O brasileiro figura em 27º com 6 litros.

Confira o infográfico abaixo

 

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.