Atos criticam governo, mas defendem Dilma e rebatem impeachment | Boqnews
Foto: Paulo Pinto/ Fotos Públicas

Política

13 DE MARÇO DE 2015

Atos criticam governo, mas defendem Dilma e rebatem impeachment

Manifestações favoráveis ao governo ocorrem por todo o País

Por: Folhapress

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Protesto de sindicalistas na sede da Petrobras em São PauloApesar do tom de cobrança ao governo federal, os protestos organizados por CUT (Central Única dos Trabalhadores), MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e movimentos sociais na manhã desta sexta-feira (13) rebatem pedidos de impeachment, e muitos manifestantes defendem a presidente Dilma Rousseff.

O mote principal dos atos é a “defesa da Petrobras”, além de críticas às medidas de ajuste fiscal. Segundo o presidente nacional da CUT, Vagner Freitas, o ato “não é nem contra nem a favor do governo, mas sim pela normalidade da democracia”.

Os protestos ocorreram em pelo menos 12 Estados, e devem se estender a outras capitais durante a tarde.

No Recife, há várias bandeiras e camisetas da campanha da reeleição de Dilma, além de faixas que clamam por reformas políticas. “Contra a corrupção, o capitalismo, os neoliberais, a mídia conservadora e contra qualquer golpe”, diz uma delas.

Também havia camisetas com a imagem da presidente e a mensagem “renovar a esperança”. Mulheres exibiam placas pró-Dilma, como “Quem venceu, governa, apesar do ódio das elites”, “Derrotados nas urnas atacam a democracia, não ao golpe” e “Avante, Dilma, estamos na luta”.

Segundo os organizadores, o ato reuniu 5.000 pessoas na capital de Pernambuco. A companhia de trânsito da cidade estima em 2.000 pessoas.

O cenário é parecido ao de Salvador, que reuniu cerca de 800 pessoas, segundo a Polícia Militar. “Respeitem a soberania popular e a democracia” e “Todos pela democracia, abaixo os golpistas” foram duas das faixas erguidas pelos manifestantes.

Em Fortaleza, manifestantes gritaram “Fora o golpe” e “Viva a democracia”, empunhando cartazes que condenam os pedidos de impeachment, como “A militância feminina apoia Dilma”. O ato reuniu 3.000 pessoas, segundo os manifestantes.

“Pautamos a defesa da Petrobras contra a privatização, a reforma política, a reforma agrária e a defesa da democracia. Não ao golpe da direita”, diz Antônia Ivoneide Melo Silva, da direção estadual do MST.

Em Cuiabá, cerca de 500 pessoas, segundo a PM, gritaram várias frases de apoio à presidente Dilma e criticando o que chamam de “golpismo”.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.