nacional

Mês de decisão

Setembro é o mês-chave para os candidatos jogarem todas as fichas para conquistar os votos dos eleitores. Se as eleições…

03 de setembro de 2010 - 22:11

Da Redação

Compartilhe

Setembro é o mês-chave para os candidatos jogarem todas as fichas para conquistar os votos dos eleitores. Se as eleições proporcionais caminham para uma tendência  cada vez mais solidificada, com a vantagem de Dilma Rousseff (PT) captada por todos os institutos de pesquisa em âmbito federal, e de Geraldo Alckmin (PSDB) ao Governo do Estado (veja quadro), assim como o Senado, a expectativa maior refere-se aos deputados, em razão do elevado número de indecisos.


Levando em consideração o percentual  dos votos válidos com base na eleição passada e atualizado pelo total de eleitores aptos  a votar em 3 de outubro,  estariam  em aberto cerca de 780 mil votos destinados a deputados federais e 850 mil entre os estaduais somente entre os moradores da Região Metropolitana.


Com 324.347 eleitores, Santos é o principal colégio eleitoral regional, com 26% do total. Em seguida, São Vicente tem 243.220 eleitores aptos (20% do total). Guarujá conta com 211.549 eleitores (17%), seguido por Praia Grande, com 167.171 (14%). Cubatão tem 93.447 (8%). Na sequência, Itanhaém, com 63.650 (5% do total); Peruíbe, com 49.617 (4%); Bertioga, com 35.537 (3%) e, por último, Mongaguá, com 35.443 eleitores (3%).


Em relação às eleições de 2006, o eleitorado da região cresceu 92.681 eleitores, um acréscimo de 8,27%. Na média, Praia Grande, Itanhaém, Mongaguá e Peruíbe foram as principais responsáveis pelo crescimento. Em  quatro anos, elas responderam por um acréscimo de 35.313 votos. O volume de votos foi superior à votação de dois deputados estaduais e três federais paulistas em 2006.


Leia também:


Tendência mantida


Correndo atrás do voto

LEIA TAMBÉM: