Tensão

Cidades que não cumprirem o Plano SP irão ‘para o fim da fila’, diz secretário

Nesta quinta (7), a partir das 12h45, governo paulista anuncia alterações no Plano São Paulo. Hoje, com exceção da região de Presidente Prudente, todo o estado está na fase amarela.

06 de janeiro de 2021 - 18:26

Fernando De Maria

Compartilhe

O encontro virtual realizado nesta quarta (6) entre os 645 prefeitos prefeitos, sendo 404 novos (62,6%), junto com o governador João Doria (PSDB) e secretários estaduais serviu também para, além de definir como será feita a vacinação da Coronavac à população, que as cidades cujos prefeitos  não cumprirem o Plano SP serão penalizadas.

“A imensa maioria dos prefeitos é responsável. Mas as cidades que não cumprirem (o Plano SP) ficarão no fim da fila para realização de parcerias”, destacou o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

Ele descartou, porém, qualquer interferência no tocante às vacinas e outras ações na área da saúde.

“Serão para investimentos em infraestrutura, caso estes municípios precisem de recursos do Governo do Estado”, salientou.

Após participação no encontro virtual com os prefeitos, Vinholi concedeu entrevista às jornalistas Bruna Barboza e Ana Paula Rodrigues, no programa Bora Brasil, da Rádio Bandeirantes, onde destacou a disposição do governo paulista.

 

Apenas a região de Presidente Prudente está na fase vermelha. O restante do Estado está na fase amarela, mas situação deve mudar a partir desta quinta (7), quando serão anunciadas as alterações no Plano SP. Aulas, porém, estão mantidas para 1º de fevereiro, independente da fase da região.

 

Plano SP

Nesta quinta (7), haverá nova divulgação do Plano SP e algumas regiões poderão regredir – agora de forma mais duradoura – de fase.

Antes das festas de fim de ano, o estado entrou na fase vermelha – com restrições totais no comércio – nos dias 25 a 27 de dezembro e 1 a 3 de janeiro.

No entanto, 20 cidades, a maioria da Baixada Santista e Litoral Norte, não atendeu ao pedido do governo paulista, alegando impactos financeiros e falta de estrutura para controlar o aumento da demanda em razão da vinda de turistas para o litoral.

Assim, manteve tudo funcionando, inclusive as praias no Réveillon, neste caso, exceto Santos e Guarujá.

Por sua vez, no final de semana do Réveillon, milhares de turistas invadiram as praias dos litorais Norte e Sul.

E, em especial, Praia Grande, que ganhou destaque após o mergulho do presidente Jair Bolsonaro em direção aos banhistas, fato de repercussão internacional.

Vinholi enfatizou que alguns prefeitos tentaram argumentar sobre a importância da manutenção das atividades em funcionamento para minimizar o impacto econômico, fato vetado pelo secretário.

Por sua vez, quanto às aulas na rede estadual, elas estão mantidas para 1º de fevereiro, independente da fase de cada região.

Dessa forma, a coletiva com a provável mudança de fases do Plano SP ocorrerá no Palácio dos Bandeirantes, a partir das 12h45.

 

 

Cidades

O Boqnews contatou todas as nove cidades da Baixada Santista para saber a posição dos prefeitos – novos e reeleitos – sobre o assunto.

Até o fechamento desta Reportagem, apenas Santos respondeu, em nota.

“Santos segue com as restrições do Plano São Paulo de combate à Covid-19.

O município está na fase amarela.

Durante o final do ano, realizou ações mais restritivas, fiscalizando o uso da máscara, implantando barreiras sanitárias e fazendo bloqueios na orla para o acesso à praia, o que recebeu apoio da população e reduziu a possibilidade de aglomerações e festas.

Além de tudo isso, a Prefeitura vem se preparando com o Plano de Vacinação, de acordo com o determinado pelo Governo do Estado, com a aquisição de insumos e a contratação de pessoal para este fim”.

A prefeitura de São Vicente emitiu a seguinte nota:  “a prefeitura seguiu alinhada com a decisão do Condesb, tomada conjuntamente e em um momento de transição de governo”.

Assim, o Boqnews aguarda as demais respostas para inclusão no texto.