Boituva, no interior de SP, é o destino certo para aventureiros | Boqnews
Foto: Divulgação/Paraquedismo Boituva

Turismo Radical

27 DE JUNHO DE 2014

Boituva, no interior de SP, é o destino certo para aventureiros

Cidade reúne escolas que oferecem, com segurança, voos de paraquedas

Por: Nara Assunção

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Para quem gosta de adrenalina e de viver momentos inesquecíveis, Boituva – no interior de São Paulo – oferece atrativos imperdíveis e, neste caso, o céu não é o limite.

É na entrada do Km 116 da Rodovia Castelo Branco, que tudo acontece. Neste ponto, estão reunidas escolas de paraquedismo tanto para quem deseja simplesmente experimentar a sensação de liberdade, proporcionada pela queda livre, como para quem deseja estudar e se tornar profissional na modalidade.

Independente do objetivo, o começo é igual: o salto duplo – que foi inventado nos anos 80 – e atrai cada vez mais adeptos. Não há muitas restrições, a idade não é o problema, e os instrutores convidam os seus “passageiros” para a aventura, dando um pequeno auxílio ainda em solo. Em poucos minutos, o instrutor passa a correta posição do corpo na hora do salto e realiza um rápido treino.

Chegada a hora, os passageiros embarcam no avião, com seus instrutores, e num piscar de olhos, 20 minutos se passam. O avião sobe – com movimentos como os de uma ave, de tão calmo – e chega a 12 mil pés, o que equivale a 3.700 metros. A pequena cidade do interior fica pequena e começam os saltos.

45 segundos. Este é o tempo que dura a queda livre. A sensação, porém, é que o momento é infinito. Não dá tempo para sentir medo. É um vazio bom que toma conta da mente. Já o corpo sente o forte vento numa queda que atinge cerca de 200 km/h.

Ao atingir 5 mil pés (1.500 metros), o paraquedas então se abre e o radical dá espaço para a tranquilidade. Existe a opção também de deixar o momento calmo mais agitado, inserindo adrenalina ao pedir emoção ao instrutor que realiza curvas acentuadas e manobras radicais.

Entrar em uma nuvem, por exemplo, é algo indescritível. O passeio, até o pouso, tem por volta de 7 minutos. Ao pisar no chão, a vontade é de pegar o próximo voo e fazer tudo de novo.

Valores
As escolas oferecem valores similares, que variam de R$300 a R$500 para salto duplo, dependendo do pacote, com fotos ou vídeos. Já para quem se animar, é possível também fazer o curso completo para se tornar um paraquedista, que custa em torno de R$4 mil.

Balão
No mesmo local, para quem não é tão radical, mas deseja voar, os passeios de balão são ótimas opções. O voo é bem mais calmo e a paisagem pode ser observada em ângulos diferentes.

Hospedagem
A viagem para Boituva, partindo de Santos, é curta, cerca de três horas, mas o ideal é chegar um dia antes na cidade, que oferece opções de hoteis e pousadas, com diárias em torno de R$120 a R$200.

Em finais de semana tranquilos é possível achar vagas mesmo sem fazer reserva. Mas o ideal é sempre se programar antes. Aliás, tanto os saltos como o passeio de balão devem ser reservados com antecedência.

 

turnet

 

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.