Hemofílicos

Baixada terá primeiro ambulatório de fisioterapia para hemofílicos

A fisioterapia é indispensável para melhorar a qualidade de vida dos pacientes hemofílicos e para amenizar as deformidades articulares

21 de março de 2019 - 10:07

Da Redação

Compartilhe

Para preencher uma lacuna existente na Região e realizar atendimento inédito para pacientes hemofílicos, a Faculdade de Fisioterapia da Universidade Santa Cecília (Unisanta) e o Rotary Club de Santos – Porto inauguram, no próximo dia 25/3, às 19h, o 1° Ambulatório de Fisioterapia e Recuperação Funcional de Hemofilia e Coagulopatias Hereditárias do Litoral Paulista, em área ampliada da Clínica de Fisioterapia da Unisanta.

A hemofilia é uma doença genético-hereditária que se caracteriza por desordem no mecanismo de coagulação do sangue e manifesta-se quase exclusivamente no sexo masculino.

De acordo com a hematologista do Hemonúcleo de Santos, Dra. Rosane Rezende, os pacientes hemofílicos da Região tinham dificuldades para a realização de tratamento fisioterapêutico, pois não existia um local específico para isso.

“Somos referência para tratamentos de hemofilia e outras doenças da coagulação. No entanto, não tínhamos para onde encaminhar os hemofílicos porque eles têm muitas doenças nas articulações por causa de sucessivos sangramentos. Foi aí que resolvi procurar a Unisanta para propor uma parceria e deu certo”.

A proposta foi levada ao Rotary Santos – Porto que, junto à Fundação Rotária Internacional, financiou todos os equipamentos adquiridos.

Hoje, o local conta com equipamentos com a mais alta tecnologia empregada no mundo para se obter ação cicatrizante; ação anti-inflamatória; analgésica; de fortalecimento muscular e de prevenção de deformações.

Ainda segundo Rosane, “foram comprados aparelhos de ponta, que nem o serviço privado possui. O objetivo é prestar atendimento para toda a Região, é um ganho para a comunidade”, afirma a hematologista.

 

O ambulatório será inaugurado na próxima segunda (25), às 19h. Foto: Divulgação/Unisanta

 

Parcerias

Com esta parceria, agora os paciente terão o tratamento completo: fator de coagulação – disponibilizado pelo Ministério da Saúde; médicos, aplicações, profilaxia e remédios – disponibilizado pelo Hemonúcleo, e atendimento fisioterapêuticos – disponibilizado pela Unisanta.

O próximo passo é disponibilizar atendimento odontológico na Clínica de Odontologia da Unisanta.

Para a diretora de Saúde da Unisanta, Dra. Caroline Teixeira, com este projeto, a Unisanta e o Rotary Santos – Porto continuarão realizando o seu papel social em prol da população da Baixada Santista.

A partir de agora atendendo pacientes hemofílicos, que até então não tinham atendimento qualificado e especializado.

“Somos referência no atendimento de amputados, na área de ginecologia e obstetrícia. Também: neurologia – adulto e infantil, ortopedia, traumatologia, fisioterapia esportiva e dermatologia. Agora nós queremos nos tornar também excelência no atendimento de pacientes hemofílicos e outras coagulopatias hereditárias como anemia falciforme, entre outras”, conclui Caroline, entusiasmada.

Como funcionam

De acordo com o diretor da Faculdade de Fisioterapia da Unisanta, Dr. Ivan Barreira Cheida Faria, recursos fisioterapêuticos de qualidade e equipamentos com tecnologia avançada ajudam a melhorar a qualidade de vida dos pacientes hemofílicos.

Assim, ajudam a amenizar as deformidades articulares provenientes dos quadros de hemorragias.

Ainda segundo Cheida Faria, a Clínica da Unisanta passou a ter três equipamentos de Campos Magnéticos Pulsados.

Nesta ocasião, todos são indicados para acelerar a regeneração tecidual, ação anti-inflamatória e analgésica.

Contudo, o primeiro aparelho deste tipo chegou ao Brasil há apenas 6 anos.

Conta ainda com dois Mobilizadores Passivos Contínuos (CPM), indicados para prevenir deformações articulares e recuperar a mobilidade articular diminuída.

“Os hemofílicos geralmente têm hemorragias articulares. Estes aparelhos irão ajudar muito a mobilidade e impedir as deformações”.

 

Segundo o Dr. Ivan Barreira Cheida Faria, a Clínica da Unisanta passou a ter três equipamentos de Campos Magnéticos Pulsados. Foto: Divulgação/Unisanta

 

Atendimentos ampliados

Estes equipamentos e muitos outros foram incorporados à Clínica Universitária de Fisioterapia da Unisanta.

Que, a partir de agora, incorpora o Centro Metropolitano de Recuperação Funcional.

Assim, ampliando as especialidades de atendimento.

O local, entre os mais bem equipados e modernos serviços de Fisioterapia e Recuperação Funcional do Brasil, passará por uma ampliação de 126 metros quadrados feita pela Unisanta.

Passando, assim, a contar com a substituição da maioria dos equipamentos, atualmente instalados, por outros novos.

Todos da mais alta tecnologia para tratamento de diversas patologias.

“Teremos um estúdio de Pilates, a Mecanoterapia será substituída por novos equipamentos da marca Life Fitness; macas motorizadas; aparelhos de eletroterapia da mais alta tecnologia e grande eficácia, entre outros. Tudo isso é resultado do engajamento de duas instituições, que sempre visaram proporcionar o bem ao próximo”, afirma a Dra. Caroline.

Entretanto, ainda de acordo com a diretora, as mudanças irão favorecer tanto a população, que recebe os atendimentos, quanto os alunos estagiários da Faculdade de Fisioterapia.

“Além de tudo, as mudanças beneficiarão também o nosso aluno estagiário, que conta com uma estrutura diferenciada para o aprendizado de novas técnicas em sua área e terá a possibilidade de utilizar e manipular no paciente aparelhos dificilmente encontrados numa Universidade”.

“Continuaremos beneficiando a população, que já recebe todo o atendimento com qualidade e de forma gratuita pela Universidade ao longo de todos esses anos, totalizando mais de 40 mil de atendimentos anuais”, conclui a diretora.

Paciente 

Daniela Oliveira dos Santos, de 26 anos, descobriu a hemofilia aos 20 anos.

Ou seja, devido à doença, teve necrose de fêmur e já está sendo atendida na Clínica de Fisioterapia da Unisanta.

“Aprovo a iniciativa da Unisanta e do Rotary. Acho muito importante e acredito também que realmente seja necessário. Existem pessoas que não possuem condições financeiras de bancar todo o tratamento, então atitudes como estas são muito bem-vindas”, declara.

Daniela é paciente da aluna do último ano de Fisioterapia da Unisanta, Nathalia Giraldez Pereira Bairos, que realiza procedimentos com o  Campo Magnético Pulsado, além de hidroterapia e técnicas manuais.

Para o Governador do Distrito 4420 do Rotary, Carlos Torci, é uma grande parceria entre a Unisanta, o Rotary Internacional, por meio do Rotary Club de Santos – Porto, e a Fundação Rotária, em uma ação conjunta, promovendo o bem.

Para ele, os pacientes serão muito bem atendidos através da mão de obra dos alunos, ao lado de professores especializados.

“Fico contente de saber que os nossos recursos estão sendo bem utilizados”, finaliza.

Na opinião do presidente do Rotary Club de Santos Porto, Alexandre Medeiros, a comunidade é a grande beneficiada com essas parcerias.

“Tudo o que a gente puder auxiliar a comunidade com parcerias que potencializem instituições autossustentáveis que buscam cobrir as lacunas deixadas pelos poderes públicos, o Rotary estará apoiando. As parcerias que temos com o Complexo Educacional Santa Cecília, que está na vanguarda da produção de conhecimento acadêmico de nossa região, são exemplos disso.

Alexandre disse ainda que os pacientes hemofílicos serão muito bem assistidos no Centro Metropolitano de Fisioterapia.

“Equipado com aparelhos da mais alta tecnologia e profissionais de renome internacional, o local potencializará o auxílio aos pacientes de todas as classes sociais a terem uma melhor qualidade de vida, visto que o projeto é inovador e gratuito”, conclui.