Vida+

Hábitos simples ajudam a evitar quadro de hipertensão arterial

Neste sábado (26) é celebrado o Dia Mundial de Combate e Controle a Hipertensão

25 de abril de 2014 - 18:40

Thalles Galvão

Compartilhe

A hipertensão arterial, popularmente conhecida como pressão alta é uma complicação que é ocasionada dentre outros fatores pelo enrijecimento progressivo das paredes das artéria, sobretudo as mais periféricas, ou seja, estreitamento dos vasos. Por conta dessa circunstância, o coração precisa fazer cada vez mais esforço para bombear o sangue, originando assim, a hipertensão.

Fatores precipitantes
Esse quadro é mais comum em pessoas a partir da meia idade, por conta do enrijecimento das artérias e também por alterções metabólicas, principalmente a obseridade abdominal. Por isso, o cirurgião cardíaco dos hospitais Ana Costa, Sírio-Libanês e Albert Einstein, Fernando Platania, esclarece que também existem hábitos que contribuem de forma substancial para a hipertensão, como a alimentação rica em sódio (refrigerantes, miojos, fast foods), sedentarismo, sobrepeso, uso de antiinflamatórios, alguns antigripais e analgésicos, termogênicos, energéticos e estresse e até a poluição, conforme revelado em estudos recentes.

E é por essa razão que têm sido recorrente o diagnóstico de hipertensão em jovens. “Fato que era raro quando estava na faculdade de Medicina há 20 anos”, diz.

Tratamento
Um dos desafios no diagnostico da hipertensão é que em muitos pacientes o quadro pode ser silencioso por vários anos, até o surgimento de sintomas que causem alerta. Contudo, a hereditariedade é um aspecto que deve ser observado pelas pessoas. “Nós observamos que, mesmo pacientes com histórico familiar importante, quando decidem adotar com seriedade as medidas não farmacológicas, podem atenuar muito o curso da doença”, explica o médico.

Primeiramente, devem mudar os hábitos que contribuem para a hipertensão antes de começar o tratamento com remédios. Segundo Fernando, infelizmente, é muito difícil convencer os pacientes de que se houver uma mudança séria e persistente dos hábitos de vida, muitos nunca precisarão ser medicados.

Embora, o cirurgião cardiologista ressalte que os brasileiros estão bem servidos com um arsenal de medicamentos eficazes e a muitos deles disponibilizados até de forma gratuita.

 

LEIA TAMBÉM: