Alimentação

Pesquisa aponta preferência de trabalhador por refeições balanceadas

Os restaurantes por quilo ou que servem refeições completas são os mais procurados na hora do almoço. Prática melhora a alimentação do usuário

03 de julho de 2019 - 09:30

Da Redação

Compartilhe

Ao escolher um restaurante, o trabalhador que usa voucher refeição como forma de pagamento, vai duas vezes mais a restaurantes que servem refeições completas (por quilo ou prato feito) do que em estabelecimentos que servem lanches e refeições rápidas, como lanchonetes e padarias, por exemplo.

As informações fazem parte da pesquisa CREST (Consumer Reports on Eating Share Trends), fornecida pela GS&Inteligência para a ABBT (Associação Brasileira das Empresas de Benefícios ao Trabalhador).

Para a diretora executiva da ABBT, Jessica Srour, o hábito apontado na pesquisa demonstra que o trabalhador está preocupado em se alimentar melhor na hora do almoço.

E é nesse horário em que o voucher é mais usado como forma de pagamento.

“Ao optar por um restaurante que serve uma refeição completa e mais balanceada, o usuário do sistema demonstra critério na escolha do que consumirá, de olho também em seu bem-estar”.

Os dados da pesquisa corroboram a opinião da diretora-executiva.

De acordo com o estudo, 47% dos trabalhadores pesquisados estão preocupados com alimentação saudável. Dessa forma, com o consumo de verduras, legumes, grãos, proteínas, sucos naturais e frutas.

Além disso, a pesquisa apurou que quem paga com o voucher refeição consome duas vezes mais saladas. E, ainda, até três vezes mais proteína (carne, frango, peixe e porco).

“Em relação à bebida, outra boa surpresa: o usuário consome 20% mais sucos naturais do que as pessoas que pagam suas refeições em dinheiro ou cartão”, comenta Jessica.

Refeição saudável com economia

Mesmo em restaurantes mais populares, que servem o chamado prato feito, a preocupação com a alimentação equilibrada continua.

“A pesquisa demonstrou que quando a salada é oferecida como acompanhamento, os consumidores aceitam mais do que batata frita”, acrescenta a diretora-executiva da ABBT.

O sistema de benefício, que engloba as empresas operadoras do segmento de voucher refeição, está inserido no PAT (Programa de Alimentação ao Trabalhador) do governo federal, criado em 1976.

“O PAT é o mais duradouro programa socioeconômico do Brasil e referência internacional. É o único programa de benefício alimentar no mundo que prevê a possibilidade de ofertar refeições principais (almoço e jantar) e refeição menor (desjejum e lanche) para o trabalhador”, afirma a diretora-executiva da ABBT.

Em 2018, o PAT beneficiou mais de 22 milhões de trabalhadores. Por meio de voucher refeições, voucher alimentação, restaurantes in company e cestas de alimentação.

Além disso, Jessica destaca que trabalhador bem alimentado produz mais e tem menos riscos de apresentar problemas de saúde.

“Por isso, fazer boas escolhas é fundamental. Por exemplo, ao ir a um restaurante por quilo, uma forma de garantir uma refeição mais equilibrada é se servir primeiro de saladas e vegetais. Assim, a tendência é que esses alimentos ocupem a maior parte do prato, garantindo não apenas mais saúde como também economia, já que as verduras são mais leves e o prato ficará mais barato”.

LEIA TAMBÉM: