Dia de combate

Policlínicas de Santos atendem pacientes com suspeita de tuberculose

Pessoas que apresentam tosse por mais de três semanas devem procurar auxílio médico e fazer os exames. Atendimento sem agendamento ocorre hoje

17 de novembro de 2017 - 09:46

Da Redação

Compartilhe

O Dia Nacional de Combate à Tuberculose ocorre nesta sexta-feira (17) e as policlínicas de Santos atendem a casos suspeitos da doença sem necessidade de agendamento: basta comparecer à unidade e será atendido.

Pessoas que apresentam tosse por mais de três semanas devem procurar auxílio médico e fazer os exames. Essa medida não apenas visa dar o diagnóstico precoce e iniciar o tratamento imediatamente, como evitar mais transmissão e óbitos.

Em 2017, Santos registra 299 casos de tuberculose, sendo 229 novos e 70 reincidentes (pessoas que voltaram a ter a doença), com uma morte.

“A tuberculose é uma doença muito antiga e tem tratamento. A medicação deve ser tomada por, no mínimo, seis meses e é preciso ter disciplina. A melhora no quadro clínico ocorre em pouco tempo, o que faz algumas pessoas abandonarem o tratamento que, para fazer efeito mesmo, deve ser levado até o fim, conforme orientação médica, para não ter perigo de a doença voltar e o pior, mais resistente aos medicamentos”, explica Ana Paula Valeiras, chefe do Departamento de Vigilância em Saúde.

No Brasil, são registrados cerca de 70 mil casos de tuberculose todos os anos e 4,5 mil mortes.

O que é tuberculose?

É uma doença infecciosa e transmissível, causada por sete espécies de Mycobacterium tuberculosis, bactéria que afeta prioritariamente os pulmões, embora possa acometer outros órgãos e sistemas.

Como é transmitida?

A tuberculose é uma doença de transmissão aérea, ou seja, ao falar, espirrar e, principalmente, ao tossir, as pessoas com tuberculose ativa lançam no ar partículas que contêm bacilos. Calcula-se que, durante um ano, numa comunidade, um indivíduo que tenha a doença possa infectar, em média, de 10 a 15 pessoas.

Incubação

Embora o risco de adoecimento seja maior nos primeiros dois anos após a primeira infecção, uma vez infectada a pessoa pode adoecer em qualquer momento da vida.

Sinais e sintomas

O principal sintoma é a tosse prolongada (três semanas ou mais). Há outros sinais e sintomas que podem estar presentes, tais como febre no período da tarde, sudorese noturna, emagrecimento e cansaço/fadiga. A forma extrapulmonar da tuberculose ocorre com mais frequência em pessoas que vivem com o HIV/aids, especialmente entre aquelas com comprometimento imunológico.

Prevenção

A vacina BCG, que protege das formas mais graves de tuberculose, deve ser dada às crianças ao nascer ou, no máximo, até os 4 anos de idade.

LEIA TAMBÉM: