Saúde

Santos está em estado de alerta contra a dengue

São 459 amardilhas distribuídas pela cidade

15 de abril de 2014 - 14:24

Da Redação

Compartilhe

Novos critérios adotados pelo Ministério da Saúde apontam que Santos está em alerta quanto ao número de casos de dengue. Considera-se situação de epidemia, quando se atinge um caso para cada mil habitantes, o que em Santos equivale a 433 casos. Agora, 20% deste número, o que corresponde a 87 casos, servem para indicar o alerta. Neste ano epidemiológico, iniciado em julho passado, até esta segunda-feira (14), foram confirmados 111 casos. Municípios como Guarujá e Bertioga e até São Paulo também já estão em alerta.

O período crítico de epidemia, que costuma ser em março, pode ter pico tardio este ano, entre abril e maio, devido ao forte calor dos primeiros meses do ano e as chuvas que demoraram a chegar. “Não é porque o outono começou que devemos baixar a guarda. Nesta época começam também as doenças respiratórias e os sintomas, como dor no corpo, podem ser confundidos, por isso o mais importante é sempre procurar avaliação médica e não descuidar da hidratação. Não podemos deixar que os casos evoluam para as formas graves da doença”, explica o secretário de saúde, Marcos Calvo.

Treinamento e prevenção
Além do trabalho de prevenção realizado pelos agentes de controle de vetores, a Secretaria Municipal de Saúde promove atualização de protocolo de atendimento junto a médicos e enfermeiros. Entre os pontos destacados pela equipe da Vigilância está a mudança de sintomas. Hoje um paciente com dengue nem sempre apresenta febre e muitos se queixam, por exemplo, de dores abdominais. Outra medida adotada pela prefeitura é a prestação de atendimento nas unidades básicas sem necessidade de agendamento.

Já no controle do mosquito transmissor, o Aedes Aegypti, há um trabalho permanente de 185 agentes de controle e encarregados que fazem não apenas a eliminação dos focos, bem como o controle e o trabalho de prevenção e orientação junto à comunidade. Somente neste ano foram visitados 170 mil imóveis, sendo 97 mil em 26 mutirões pelos bairros.

As armadilhas também tiveram uma ação pioneira, com a instalação na área portuária. Hoje são 459 distribuídas pela cidade, cujo resultado é atualizado semanalmente. Além disso, a Seção de Controle de Vetores também atua com um trabalho educativo, com estande, palestras e distribuição de informativos em pontos estratégicos. No primeiro trimestre deste ano foram mais de 100 ações, alcançando 48.709 pessoas.

Informações sobre dengue podem ser obtidas no site , ou pelo Disque Dengue: 0800-7706869.

LEIA TAMBÉM: