vida

Saúde dá cinco dicas sobre refeição segura no Dia Mundial da Alimentação

Na data em que se comemora o Dia Mundial da Alimentação, a Secretaria de Estado da Saúde mostra cinco formas…

16 de outubro de 2009 - 21:27

Da Redação

Compartilhe

Na data em que se comemora o Dia Mundial da Alimentação, a Secretaria de Estado da Saúde mostra cinco formas de manusear de maneira apropriada a comida e evitar as doenças transmitidas por alimentos (DTAs) contaminados.


 “Uma alimentação saudável não passa apenas pela escolha da comida, como comer frutas ou verduras. É fundamental que os alimentos estejam bem conservados e sejam devidamente manuseados. Caso contrário, eles podem se transformar em um meio de contaminação”, afirma Maria Cristina Megid, diretora do Centro de Vigilância Sanitária do Estado.


Hoje, uma parceria envolvendo as Vigilâncias Sanitárias Estaduais, municipais e a Anvisa irá distribuir material em escolas e supermercados, entre outros pontos, alertando sobre a necessidade da alimentação segura.


Veja abaixo dicas:


1 – Mantenha a higiene


Os utensílios e as superfícies apresentam resíduos de alimentos e, portanto, são ambientes propícios à proliferação de micróbios. A desinfecção deve ser tão cuidadosa quanto à lavagem das mãos, tendo especial atenção com as condições de higiene e conservação da esponja, pano de pia e pano de prato. Os panos de prato, panos de pia e esponjas devem ser trocados freqüentemente. Preferencialmente, deixe os utensílios lavados secarem naturalmente. As superfícies que entrem em contato com os alimentos, como bancadas de cozinhas e as tábuas de corte, devem ser mantidas em bom estado de conservação, sem rachaduras, trincas e outros defeitos que favoreçam o acúmulo de líquido e sujidades, onde proliferam os micróbios.


2 – Separe os alimentos crus dos cozidos


As carnes cruas, os frutos do mar crus e os vegetais não lavados apresentam naturalmente micróbios patogênicos, por isso eles necessitam de algum tratamento antes do consumo (cozimento ou lavagem) Todavia, esses alimentos podem ser uma importante fonte de contaminação de outros alimentos prontos para o consumo. Essa contaminação, conhecida como contaminação cruzada, pode ocorrer por meio das mãos dos manipuladores ou pelo uso de utensílios – como facas e tábuas de corte – sujos. Um exemplo desse tipo de contaminação
é cortar frango cru e usar a mesma tábua, sem lavar, para cortar a alface.


3 – Cozinhe muito bem os alimentos


Segundo os dados do Ministério da Saúde, os ovos crus e mal cozidos e as carnes vermelhas são responsáveis por 34,5% dos surtos de DTA que ocorrem no Brasil.


4 – Mantenha os alimentos em temperaturas seguras


Não deixe alimentos cozidos em temperatura ambiente por mais de duas horas; refrigere prontamente todos os alimentos cozidos e perecíveis; mantenha quentes os alimentos cozidos antes de servir; não guarde alimentos por muito tempo, mesmo na geladeira; não descongele alimentos em temperatura ambiente


5 – Use água tratada e matérias primas seguras


Verifique se o supermercado ou estabelecimento comercial apresenta adequadas condições de conservação dos alimentos oferecidos. Para escolher esses estabelecimentos, não utilize apenas critérios como a proximidade do domicílio e o preço dos produtos; verifique também a limpeza e organização do ambiente.


 

LEIA TAMBÉM: