Opinião

Medo Fora e Dentro de Casa Realidade Vivida por Milhares de Mulheres

Para as mulheres que vivem violência domestica esse é um cenário comum, pois seus agressores costumam isolar as vitimas do convívio social para que possam ter mais controle sobre elas

06 de abril de 2020 - 13:28

Stella Salles Ribeiro - Advogada

Compartilhe

 

Imagine uma mulher que não se sente segura dentro de seu próprio lar e não pode sair, pois lá fora esta acontecendo uma Pandemia de COVID-19 . Essa é a realidade de milhares de mulheres que sofrem violência doméstica, seja moral, física ou sexual.

Segundo matéria publicada no site Carta Capital “Secretaria Nacional de Politicas para Mulheres foram divulgados um aumento de 17% no número de denúncias registradas pela plataforma no comparativo do começo e do fim do mês de março, período marcado por determinações de isolamento social em estados e municípios.”( Carta Capital , 29 de março de 2020)

Enquanto a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro relatou um aumento de 50% nos casos de violência doméstica no estado durante os primeiros dias do período de isolamento por conta da pandemia .

Isso se deve pelo fato do agressor ficar mais tempo em casa, em virtude da pandemia do COVID-19, que para o vírus não se espalhar todos devem ficar de quarentena em seus lares.

Para as mulheres que vivem violência domestica esse é um cenário comum, pois seus agressores costumam isolar as vitimas do convívio social para que possam ter mais controle sobre elas.

Porém, nessa época que estamos vivendo, muitos abrigos e Fóruns fechados, funcionando de maneira remota. Ligar pode ser algo difícil ou até mesmo impossível para a vítima, pois o agressor pode estar próximo o tempo todo.

O que pode ser feito diante dessa situação?

“O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos recomendou aos organismos governamentais de políticas para mulheres que não suspendam os serviços.

 

E ainda:

Além disso, pediu a”implementação de comitês de enfrentamento à violência contra mulheres durante a pandemia nos estados, Distrito Federal e municípios; realização de campanhas sobre importância de se denunciar a violência doméstica e familiar contra as mulheres com divulgação dos canais de denúncia; entre outras medidas”. ( site Gazeta do Povo, 30 de março 2020)

Na Itália, desde o dia 09 de março, estão vivendo o isolamento domiciliar total.

Para as organizações responsáveis, houve uma queda no número de ligações, mas isso se deve ao medo das vitimas ligarem.

Localizado o problema as organizações começaram uma campanha de divulgação, com ajuda de celebridades, informando que as casas de abrigos estão abertas e também a criação de um aplicativo chamado Rosa que torna mais fácil a realização de denuncias.

Medidas estas que podem inspirar o Brasil.

O governo não pode esquecer que milhares de mulheres sofrem violência domestica, por isso devem buscar soluções para facilitar o canal de denuncia e melhorar as medidas protetivas, pois sabemos que muitas vezes são falhas.

Stella Salles Ribeiro da Silva é advogada

INSTAGRAM: stella.advogada