Verbas Dade

Bate em Doria, mas não em Alckmin

12 de abril de 2019 - 12:54

Da Redação

Compartilhe

Municípios da região deixam de receber milhões das verbas Dade. Foto: Divulgação- PMS

Diz o velho ditado que pau que bate em Chico, bate em Francisco.

Na política, porém, nem sempre isso ocorre.

É o caso das queixas de prefeitos em relação aos atrasos de repasses das verbas Dade, voltadas para a área de turismo.

Até tucanos – mesmo partido que ocupa o poder há décadas – se queixaram dos atrasos durante reunião da Associação das Prefeituras das Cidades Estâncias do Estado de São Paulo, ocorrida no último sábado (6) em Guarujá.

Vale lembrar que o governo paulista é governado desde janeiro pelo também tucano, João Doria.

O interessante é que a mesma queixa – pelo menos publicamente – não ocorria quando o Governo do Estado também não repassava verbas – ou as contingenciava -como ocorreu durante todo governo Geraldo Alckmin no Estado, atual presidente nacional do PSDB.

Vale lembrar, porém, que o repasse de verbas de turismo não é favor, mas obrigação constitucional.

Levantamento realizado pelo consultor econômico e jornalista Rodolfo Amaral concluiu que o Estado deixou de repassar para as cidades da Baixada Santista entre 2011  a 2018 o montante de R$ 340 milhões apenas com as verbas Dade.

Além disso, neste período, o estado foi governado por Geraldo Alckmin (PSDB) e Márcio França (PSB), então seu vice, entre abril e dezembro passado.

Já este ano, o atraso no repasse chega a R$ 17,6 milhões, segundo Amaral.

Assim, apesar do direito legal dos prefeitos reclamarem – sob o risco de prevaricação  – é interessante notar por qual razão isso não foi feito antes.

Portanto, fica claro que pau que bate em Doria, não bate em Alckmin nem em França…

Mistérios, mistérios…

LEIA TAMBÉM: