Eleições 2020

Pela renovação nos legislativos

15 de outubro de 2020 - 16:32

Da Redação

Compartilhe

Gabinete itinerante, conselho político, escritório aberto, processo seletivo na destinação das emendas impositivas e criação e a permanência do Parlamento Jovem e de uma Secretaria ou Departamento da Juventude nas cidades da Baixada Santista.

Esses são os compromissos do coletivo INOV9.

Um movimento para renovar as Câmaras de Vereadores da Baixada Santista. É assim que Daniel Papa (PSB-São Vicente), Isaac Santos (Cidadania-Praia Grande), Jaqueline Ivanoff (REDE-Mongaguá) e Leandro Araújo (PV-Cubatão) vêm se apresentando, como integrantes do Movimento Acredito como Lideranças Cívicas.

O programa visa a fomentar práticas inovadoras na política, com base em valores e evidências, além de construir uma agenda de prioridades para as cidades brasileiras.

Por isso, eles formaram o coletivo INOV9: de candidaturas que se conectam por valores e princípios.

Dispostas a compartilhar boas práticas, saberes, projetos de lei, causas e lutas, as candidaturas deles buscam o bem comum e o desenvolvimento sustentável da cregião.

O 9 remete às cidades da Baixada Santista e aos valores que defendem: desenvolvimento sustentável, justiça social, diversidade, fortalecimento da democracia, integração regional, Estado presente, ética e transparência, economia solidária e renovação política.

Querem no futuro ter candidaturas em todas as cidades da região metropolitana.

Nas últimas eleições, houve altas taxas de renovação nas câmaras de Cubatão (60%), Mongaguá (38,5%), Praia Grande (42,1%) e São Vicente (73,3%).

E eles defendem a alternância de poder apesar de o cidadão ter o senso de descrédito na política.

Para eles, problema já começa nas eleições, quando candidatos usam velhas táticas para conquistar votos, como a promessa de empregos, vagas em creche, camisas de futebol, entre outros “mimos”.

 

Expectativas

Para o coletivo, existe um abismo entre as expectativas do eleitor e a atuação do eleito, principalmente quando este abandona os seus valores, a sua comunidade e/ou quando ele cumpre “apenas” as suas atribuições constitucionais:

– Fiscalizar o prefeito, vice-prefeito e secretários municipais;
– Propor, debater e aprovar leis de interesse municipal;
– Votar projetos de lei enviados pelo(a) prefeito municipal;
– Organizar os serviços da câmara municipal;
– Representar os anseios da população em busca do bem comum.

Para os candidatos, a sociedade vive um dilema: manter os mesmos membros não está funcionando, mudá-los não tem alcançado melhores resultados.

E, para completar, no quadro extremamente complexo, vive-se em uma sociedade desigual, que enxerga educação política como um tabu, uma brecha para doutrinação partidária.

Eles acreditam que há solução: por isso que um grupo de jovens do Movimento Acredito, que tem como expoentes os deputados federais Felipe Rigoni e Tabata Amaral, revolveu fazer.

Ampliar radicalmente as formas de participação social para que as pessoas se sintam, se percebam como corresponsáveis pelo futuro das cidades.

Embora facultativo, quando eleitos, comprometem-se a se reunir periodicamente e em promover pelo menos um destes mecanismos de participação social e educação política:

– Gabinete itinerante: é uma ação estruturada promovido pelo(a) vereador(a) que visa aproximar os cidadãos do mandato eleitoral.
– Conselho Político: órgão consultivo auxiliar ao mandato eletivo que se reúne periodicamente para acompanhar a ação do(a) parlamentar, apresentar e cobrar respostas acerca das demandas da população, e fiscalizar a atuação do(a) vereador(a).
– Gabinete Aberto: programa de visita monitorada para que os cidadãos possam conhecer a câmara municipal, seus órgãos, suas atividades, assim como, acompanhar um dia de atuação parlamentar.
– Processo seletivo na destinação das Emendas Impositivas: destinação de pelo menos 30% dos recursos das emendas parlamentares via processo seletivo público, transparente em que os cidadãos e/ou as entidades possam apresentar seus respectivos projetos para apreciação.
– Defender a criação e a permanência do Parlamento Jovem e de uma Secretaria ou Departamento da Juventude em cada uma das cidades.

Para essas jovens lideranças, o tempo tem mostrado que caminhos antigos não levam a lugares diferentes e que é imprescindível que o(a) candidato(a) INOV9 se quiser levar políticas públicas, qualidade de vida e inclusão social até os cidadãos.

LEIA TAMBÉM: