Áudio vazado

Vereador promete barulho

18 de abril de 2019 - 14:19

Da Redação

Compartilhe

 

Vereador quer saber qual a posição do Executivo em relação ao episódio.

O áudio vazado nas redes sociais onde o secretário-adjunto de Turismo de Santos, Adilson Durante Filho, destila palavras de racismo – especialmente entre mulatos – provocou a ira do vereador Chico Nogueira (PT – foto acima).

O assunto ganhou repercussão tamanha que liderou no twitter com a hastag Expulsa o Racista, liderado por torcedores do Santos FC.

Portanto, confira e acompanhe neste link.

No entanto, Durante Filho alegou à imprensa que sua fala foi dentro de um contexto esportivo (ele é conselheiro do Santos FC) e ocorreu há cinco anos.

Ou seja, sob a ótica do representante da Secretaria de Turismo, no futebol não há problema em ser preconceituoso.

Assim, Nogueira, por sua vez, postou nas redes sociais sua indignação.

Portanto, em sua página, o vereador assinalou o seguinte texto:

“A postura inaceitável do secretário-adjunto de Turismo de Santos (SP), Adilson Durante Filho (PSD-SP) pede uma posição clara e efetiva do governo municipal.

O mesmo ocorreu com a vereadora Telma de Souza (PT), presidente da Comissão dos Direitos Humanos da Câmara, que pediu explicações sobre o ocorrido.

Em nota (confira no final do texto) publicada no final da tarde, o prefeito Paulo Alexandre Barbosa divulgou que o secretário-adjunto pediu afastamento do cargo, o que foi aceito.

Nada foi falado sobre exoneração.

 

Como começou

Em uma conversa de WhatsApp divulgada, nesta quarta-feira (17), pelo programa Sucupira Conection, na Rádio Vila, Durante Filho expressa o seu racismo com frases como “os pardos brasileiros são todos mau-caráter”.

Como vereador desta cidade, coloquei o meu mandato a serviço das lutas de classe e gênero e considero as declarações cruéis e insensatas”.

Assim, o fato já ganhou repercussão nacional, com a divulgação do áudio – originalmente divulgado pela rádio on line Santos Rádio da Vila –  na revista Fórum, inclusive com a defesa do secretário-adjunto.

Desta forma, centenas de comentários estão postados nas redes sociais sobre o assunto.

Portanto, Nogueira promete fazer barulho sobre o assunto logo no início da sessão de segunda-feira (22) na Câmara.

Vai ser o artigo 68 para agilizar sua fala.

 

Secretário-adjunto de Turismo, Adilson Durante

Arrependido

Em nota, Adilson Durante Filho reconheceu o erro.

“Com relação a um antigo áudio de alguns anos atrás que circula nas mídias sociais, de minha autoria, gostaria de expor que, em um momento de infelicidade e levado pela emoção, em decorrência de um fato que muito me abalou, acabei me expressando de forma absolutamente diversa das minhas crenças e modo de agir”.

Jamais tive a intenção de atingir quem quer que seja, até porque assim me manifestei em um pequeno grupo de supostos amigos de WhatsApp.

Consigno que não tenho qualquer preconceito em razão de cor, raça ou credo, pois minha criação não me permitiria ser diferente.

Peço, humildemente, desculpas a todos que se sentiram ofendidos, e expresso, por meio deste comunicado, meu mais profundo arrependimento quanto às palavras genericamente proferidas”.

 

 

Santos divulga Nota Oficial

O site do Santos FC divulgou nota oficial a respeito das declarações do secretário-adjunto, que também é conselheiro do clube.

Confira o teor

“O Santos Futebol Clube tem em sua trajetória a marca de ter sido, nos anos 60, um dos símbolos mais fortes, a nível mundial, do combate ao racismo, ainda engatinhando naquela época, mas que se fortalecia”.

O time mágico de Pelé, Pepe, Coutinho, Zito e tantos outros gênios do futebol espalhou aquela maravilhosa imagem de brancos e negros se abraçando para comemorar gols que encantavam o mundo”.

Até hoje mantemos acesa essa tradição. Assim, é muito triste que tantas décadas depois tenhamos de vir a público reafirmar nosso absoluto repúdio a qualquer forma de discriminação e racismo”.

Temos orgulho da nossa história construída em 107 anos de existência por ídolos negros, pardos, brancos e seres humanos de todas as etnias.

Brasileiros, somos produto da miscigenação.

Santistas, vamos continuar lutando pela paz do nosso branco e pela nobreza do nosso preto, cores eternamente entrelaçadas em nossa história”.

 

Prefeitura de Santos (nota oficial publicada no facebook).

“A Prefeitura de Santos repudia toda e qualquer manifestação de racismo e compartilha a nota oficial divulgada pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa:

“Como prefeito, afrodescendente, cidadão, filho de ex-engraxate de sapato de origem humilde, manifesto, com veemência, repúdio à qualquer manifestação que defenda ou propague preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação, independentemente dos meios, circunstâncias ou período de tempo que ocorra.

Sempre será e deve ser absolutamente condenada.

O funcionário da prefeitura envolvido no lamentável caso que se tornou público, sr. Adilson Durante Filho, reconheceu o grave erro, pediu desculpas, se retratou publicamente e está ciente da sua responsabilidade e das possíveis consequências desse ato cometido na esfera de sua vida privada.

Ele pediu licença não remunerada de suas funções para que possa prestar os esclarecimentos devidos decorrentes da sua manifestação.

A situação administrativa do funcionário está suspensa, com prejuízo dos vencimentos, e permanecerá assim durante todo o período de seu afastamento”.

 

PSD

Também filiado ao PSD, o secretário-adjunto Adilson Durante pediu a desfiliação da legenda.

Isso porque o presidente do partido, Gilberto Kassab, chegou a abrir procedimento interno para apurar o ocorrido.

 

LEIA TAMBÉM:

Leia a edição impressa

ED 1266 DE 20 A 26.07.2019

Edições anteriores