Baixada Santista

Adote uma Máscara! Projeto visa ajudar profissionais da saúde

Devido a falta de EPIs nos hospitais, advogada criou projeto para auxiliar na prevenção de médicos e enfermeiros durante pandemia

27 de abril de 2020 - 11:20

Felipe Rey

Compartilhe

Projeto visa fabricar e enviar máscaras para médicos e enfermeiros. Foto: Divulgação/site

 

O combate ao coronavírus despertou uma onda solidária ao redor do globo. Em Peruíbe, no litoral de São Paulo, uma advogada notou a carência de EPIs em hospitais e montou o projeto denominado ‘Adote uma Máscara’.

A profissional Suzana Bertellini Perez contou que a idealização do projeto ajudava apenas os profissionais da cidade. No entanto, a necessidade dos demais hospitais espalhados pela Baixada Santista, fez com que o projeto alcançasse novos ares.

Segundo ela, a previsão era fazer 600 máscaras para auxiliar enfermeiros e médicos locais, porém, os pedidos oriundos de outras clínicas fez com que a demanda não fosse suficiente.

“Para cada pessoa que adotar uma máscara, nós vamos fabricar e quando formar equipe de cada hospital nós vamos enviar para cada local”, explica.

Com o aumento exponencial da demanda, já houve ofertas de voluntários para auxiliar nas confecções de máscaras. Com a quarentena imposta pelo Estado até o dia 10 de maio, Suzana ressalta que os ajudantes devem fazer todo o procedimento de criação de dentro de casa, assim, evitando a disseminação do vírus.

Para isso, o projeto preparou vídeos explicativos de como fazer EPI, e após a confecção, a equipe se descoloca até a casa do voluntário para buscar as máscaras.

“A gente recolhe, esteriliza. Se houver uma demanda muito alta que a gente não consiga atender com a nossa equipe aqui, será passada para mais voluntários”, afirma.

Atualmente, cerca de 300 máscaras (tnt) são produzidas por dia e 60 por dia de acetato. O montante, no entanto, pode variar, chegando, por exemplo, a 1000 fabricações por dia.

 

Prestação de contas

Os valores superfaturados de máscaras emperram a compra de morados e até de hospitais que necessitam do acessório. Há relatos de que muitas, aliás, estão sendo por mais de R$ 10.

Vale lembrar que a  Federação e o Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo enviou um ofício, em março último, ao Ministério da Saúde alegando um aumento no preço das caixas de máscaras, que havia subido de R$ 4,50 para R$ 140.

Para que não haja dúvidas, a advogada está prestando contas ao Fórum de Peruíbe e todo o processo está acompanhando por uma juíza. Assim, evitando que haja extravio do material.

Hoje, cada máscara está comprada a R$ 2,50, segundo ela.

Para participar da campanha, acesse o site ou entre em contato: (13) 99618-2533.

 

Confira o passo a passo para fazer a máscara.

 

LEIA TAMBÉM: