Após três meses, obras do VLT voltam às atividades | Boqnews
Foto: Julio César/Divulgação

VLT

24 DE JULHO DE 2015

Após três meses, obras do VLT voltam às atividades

Cerca de 500 trabalhadores atuam nas frentes de serviço. Trecho Barreiros-Porto está 95% pronto em São Vicente 65% em Santos

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

vltmelhorCom os trabalhos retomados há mais de um mês após decisão judicial, as obras  do  Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) seguem no trecho Barreiros-Porto, em São Vicente (95% está pronto) e em Santos, nas estações Nossa SenhoraF de Lourdes, Pinheiro Machado, ponte do canal 2 e pátio Porto (65% está concluído). Cerca de 500 trabalhadores atuam nas frentes de serviço.

Estações Bernardino de Campos, Conselheiro Nébias e Barreiros mais instalações do Pátio Porto, com edifício administrativo, subestação de alimentação elétrica e guaritas,  têm previsão de conclusão em dezembro deste ano. O trecho Conselheiro Nébias – Valongo encontra-se em fase de licenciamento ambiental, com previsão de emissão de Licença Provisória (LP) pela Cetesb em breve. As estações Ana Costa e Washington Luís têm previsão  de conclusão no 2º trimestre de 2016.

De acordo com a  Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU), o valor total do empreendimento VLT (trechos Barreiros-Porto e Conselheiro Nébias-Valongo), incluindo projetos, obras civis, sistemas e material rodante, é de R$ 1,17 bilhão e não foi alterado.

Paralisação
A liminar conseguida pelo Ministério Público (MP) que paralisava os serviços entre o Canal 1 e a Avenida Conselheiro Nébias depois da denúncia de alteração do projeto inicial foi suspensa pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) no mês passado. As obras ficaram paralisadas por três meses. A discussão gira entorno no traçado do VLT.

Os promotores do MP e do Grupo de Atuação Especial do Meio Ambiente (Gaema) – Núcleo Baixada Santista alegaram que a mudança geraria mais gastos e não traria qualquer benefício à Cidade. No momento, o Gaema aguarda o julgamento da providência da promotoria junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para que a cassação da liminar seja revertida. Enquanto isso, a promotoria acompanha o andamento das obras.

Em nota, a EMTU disse que a paralisação não acarretou em prejuízos financeiros e que vem prestando todos os esclarecimentos solicitados pelo  MP. Segundo a empresa, durante a parada, a EMTU/ priorizou os trechos do túnel do José Menino até a avenida Pinheiro Machado e da Avenida Conselheiro Nébias até o Porto.

Fase de testes
O VLT já opera em fase de testes. O percurso sem tarifa ocorre de segunda a sexta entre às 13 e 16 horas, da  estação Pinheiro Machado, no Canal 1, em Santos, até a Estação Mascarenhas, em São Vicente.

A Reportagem fez o percurso que dura aproximadamente 30 minutos e verificou que o veículo opera dentro da normalidade e as instalações estão bem conservadas. A EMTU disse que não houve denúncia de depredação dos veículos e estações durante a fase de testes.

A tarifa do VLT será de R$ 3,60, e a integração com os ônibus municipais custará R$ 3,80.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.