Obras

Começa a construção do Centro de Judô e Lutas de Santos

Todas as obras juntas somam investimento de mais de 13 milhões

07 de novembro de 2019 - 12:20

Da Redação

Compartilhe

Santos terá um Centro de Referência de Judô e Lutas, ambiente ideal para prática e desenvolvimento desportivo não só de judô como também de caratê, taekwondo e luta olímpica, com possibilidade de realização de competições oficiais.

A obra está no início e deverá ser entregue em um ano e meio, reforçando a vocação esportiva da Cidade.

Os primeiros serviços foram a retirada do pavimento na área remanescente do Complexo Arena Santos, na Vila Mathias, onde o edifício será erguido.

“Na sequência, começa a escavação do terreno para fazer a fundação”, diz o arquiteto Ronald do Couto Santos, autor do projeto do ginásio que terá arquibancadas com aproximadamente 400 lugares e itens de sustentabilidade.

 

Acesso compartilhado

O Centro de Lutas terá mais de 1.400 m² com andar térreo e mezanino, totalmente acessível.

Como está sendo construído dentro da área do Complexo Arena Santos, o novo edifício vai dividir o acesso tanto para pedestres como para veículos, com a Arena Santos.

Assim como as infraestruturas que já integram o complexo.

Os serviços são gerenciados pela Secretaria de Infraestrutura e Edificações e executados pela Construtora Interiorana, vencedora da licitação.

A obra, no valor de R$ 3.467.308,46, utiliza recursos de convênio federal, por intermédio do Ministério dos Esportes.

 

Santos investe mais de R$ 13 mi em equipamentos esportivos este ano

O Centro de Lutas faz parte de um grupo de iniciativas voltadas para atividades esportivas.

Este ano, a Prefeitura entregou uma piscina olímpica no Complexo Rebouças, que recebe competições oficiais; e a reforma da Torre de Jurados de Surf, no Parque Roberto Mário Santini.

Ainda na área de esportes aquáticos, atualmente são realizadas três obras na orla da praia.

A reforma e ampliação do Posto 7, para o Setor de Esportes Náuticos da Secretaria de Esportes; reconstrução do Museu do Surf.

Além da reforma do Posto 3, no Gonzaga, onde funcionará a primeira escola pública inclusiva de surfe.

Todas as obras juntas somam investimento de mais de 13 milhões.

Os recursos são federais e do Estado, via Dadetur e emenda parlamentar – deputado Paulo Corrêa Junior.

LEIA TAMBÉM: